PUBLICIDADE
Topo

Menon


São Paulo, 90 anos, um gigante à deriva

Menon

Meu nome é Luis Augusto Símon e ganhei o apelido de Menon, ainda no antigo ginásio, em Aguaí. Sou engenheiro que nunca buscou o diploma e jornalista tardio. Também sou a prova viva que futebol não se aprende na escola, pois joguei diariamente, dos cinco aos 15 anos e nunca fui o penúltimo a ser escolhido no par ou ímpar. Aqui, no UOL, vou dar seguimento a uma carreira que se iniciou em 1988. com passagens pelo Trivela, Agora, Jornal da Tarde entre outros.

25/01/2020 11h54

Um dos grandes clubes do Mundo completa 90 anos. O gigante brasileiro com maiores conquistas internacionais, o dono do maior e mais belo estádio, o clube com grande estrutura e que está dando passos para ser poliesportivo. O São Paulo F.C.

Um time que não ganha um título importante desde 2012. Um clube com dívida alta, que não diminui nem com a venda de revelações.

Seria fácil dizer que em seu aniversário, o São Paulo merecia ganhar, de presente, uma administração moderna e ousada que recuperasse a situação financeira e apontasse para um futuro glorioso, como é gloriosa a sua vida.

Só que isso não se consegue apenas com desejo. Não existe Papai Noel. É uma conquista a ser feita. A democratização do clube, com mais pessoas participando das decisões.

Algo que não haverá. Os conselheiros, 240 iluminados que decidem tudo, não abrirão mão de seus pequenos e podres poderes. Tudo por uma carteirinha e o clube que se lasque.

Se pelo menos fossem dirigentes ousados, capazes de buscar Leônidas da Silva e fazer a moeda cair em pé, se fossem visionários para construir um estádio, se fossem competitivos para contratar Toninho Guerreiro e Gérson, se fossem corajosos para construir Cotia.

Não são. Não estão à altura dos antigos, são anões diante da história do clube

Que fiquem de fora. Pelo menos aqui, já gastamos vela demais com defunto ruim, com gente pequena.

Vamos saudar quem merece.

Os maiores jogadores da história do clube - Ceni, Raí, Muller, Careca, Pedro Rocha, Poy, Sastre , Roberto Dias e Leônidas.

Canhoteiro, o Mago

Os maiores jogadores que vestiram a camisa do clube: Gérson, Zizinho, Bauer, Falcão, Didi e Cerezo.

As revelações: Cafu, Casemiro, Kaká, Silas, Zé Sérgio, Muller...

Os Deuses da Raça: Pablo Forlán, Diego Lugano, Chicão, Paraná, Dario Pereyra...

Os campeões do mundo: Zetti, Ronaldão, Doriva, Fabão, Leonardo, Palhinha, Válber, Danilo, Mineiro, Josué, Junior, Ronaldo Luis...

O treinadores: Telê, Murici, Autuori...

Os artilheiros: Serginho, Gino, Luis Fabiano, França, Teixeirinha...

As reticências estão aí para serem preenchidas. São muitos nomes, muitas categorias e muitas glórias. Nosso clube tem uma história incomparável.

Que venha o centenário.

Menon