PUBLICIDADE
Topo

Mauro Cezar Pereira

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Máquina de gols sem artilheiro nato, Manchester City ruma ao 4º título em 5

Kevin de Bruyne comemora terceiro gol do Manchester City sobre o Wolverhampton: Haaland vem aí - Chris Brunskill/Fantasista/Getty Images
Kevin de Bruyne comemora terceiro gol do Manchester City sobre o Wolverhampton: Haaland vem aí Imagem: Chris Brunskill/Fantasista/Getty Images
Conteúdo exclusivo para assinantes

Mauro Cezar

13/05/2022 04h00

Uma vitória sobre o West Ham, domingo, em Londres, dará o título virtual da Premier League ao Manchester City. O time chegaria a 92 pontos, o máximo que o Liverpool, segundo colocado, pode alcançar. Mas além da desvantagem de pontos, o finalista da Champions League precisa superar o saldo de gols do atual campeão.

São 71 contra 65, tudo por que nos cinco últimos cotejos pelo campeonato da primeira divisão inglesa os comandados de Pep Guardiola fizeram nada menos do que 22 gols. Foram vitórias sobre Brighton (3 a 0), Watford (5 a 1), Leeds (4 a 0), Newcastle (5 a 0) e Wolverhampton (5 a 1). Regularidade invejável e um desempenho assustador.

São 145 tentos em 56 partidas na temporada, tendo como artilheiro o craque do time, que não é atacante, Kevin De Bruyne, com 15. Quatro gols o belga fez no massacre de quarta-feira sobre o Wolves. E na temporada 2022/2023 ele terá à sua frente o norueguês Haaland, o que deve potencializar absurdamente o poderio ofensivo dos Citizens.

Uma equipe de bons e ótimos jogadores, mas sem estrelas midiáticas como as do Paris Saint-Germain. Um time que, mesmo depois da traumática eliminação da Liga dos Campeões ante o Real Madrid, não perde o foco, domina a Premier League e está perto do quarto título nas cinco temporadas mais recentes. Estupendo.