PUBLICIDADE
Topo

Mauro Cezar Pereira

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Diretor diz que o São Paulo contrataria, mesmo sem áudio vazado de Muricy

Nikão segura camisa do São Paulo - Reprodução/Instagram
Nikão segura camisa do São Paulo Imagem: Reprodução/Instagram
Conteúdo exclusivo para assinantes
Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN.

12/01/2022 04h00

O São Paulo teria o mesmo apetite no mercado, já são cinco contratações para 2022, mesmo sem o famoso áudio vazado de Muricy Ramalho. A afirmação é do diretor de futebol, Carlos Belmonte.

Há um mês, tornou-se de conhecimento público um diálogo do coordenador técnico tricolor com um amigo. Na conversa, ele falava, entre outras coisas, sobre a necessidade de reforços para o elenco.

"O áudio do Muricy, que hoje é um grande amigo, não mudou nossa postura. Fomos atrás de oportunidades de mercado e tiramos muitos atletas do elenco para tentar manter a folha equilibrada", disse Belmonte ao blog.

No entanto, em entrevista ao "Dividida", no UOL Esporte, em novembro, o dirigente foi claro: "Nós teremos que ser muito mais modestos do ponto de vista do mercado". O que mudou?

"A possibilidade de investidores, o crescimento dos patrocínios e a redução da folha. Mas nada significativo. O investimento mais robusto, mas mesmo assim pequeno para a realidade do futebol atual, foi o Nikão", argumenta Belmonte.

O diretor são-paulino acrescentou que o contrato de Nikão é de três anos, com mais uma temporada de prorrogação, dependendo do rendimento na última das três primeiras. O jogador chegou do Athletico sem pagamento de multa rescisória, ao final de seu compromisso com o campeão da Copa Sul-americana.

Siga Mauro Cezar no Twitter

Siga Mauro Cezar no Instagram

Siga Mauro Cezar no Facebook

Inscreva-se no Canal Mauro Cezar no YouTube