PUBLICIDADE
Topo

Mauro Cezar Pereira

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Acusado de se vender, ex-goleiro do Fortaleza deverá processar Richarlyson

Richarlyson, em participação no Arena SBT - Reprodução/SBT
Richarlyson, em participação no Arena SBT Imagem: Reprodução/SBT
Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN.

20/07/2021 10h47

Fortaleza e Ponte Preta se enfrentavam pelo campeonato brasileiro em 2003 e a derrota do time cearense por 2 a 0 o rebaixou à Série B. Passados cerca de 18 anos, o jogo voltou à pauta após as declarações do ex-jogador Richarlyson ao programa Arena SBT. Ele afirmou que o então goleiro do time nordestino, Jefferson, teria embolsado quantia em dinheiro para facilitar a vitória ponte-pretana, a chamada "mala preta".

"O nosso goleiro entregou o jogo (...). Se você ver, não tem como, já tinha ocorrido que ia ter mala preta, mas ninguém sabia qual jogador que tava. (...) Chegou no jogo, juro por Deus, o cara deu um chutão para trás do meio-campo, o goleirão veio: 'Eu'. O atacante tava sozinho, ele entregou no pé do atacante. Não é uma bola difícil (...). Depois de muito tempo que a gente soube que era ele", afirmou (veja abaixo).

O presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, disse ao blog que o clube não tomará providências inicialmente. "Fui surpreendido, acordamos com essa notícia. Acho que o Richarlyson tem que provar e o Jeferson também deveria se pronunciar, ele foi diretamente citado. Ele tem história no futebol do Estado, jogou em vários times aqui, é cearense, mora aqui e foi o goleiro do acesso do Fortaleza em 2002", lembrou

Paz acrescentou que a priori o clube não fará nada, por acreditar que isso cabe a quem foi acusado. "Eu já tive noticias de que o Jeferson pedirá direito de resposta e vai para as vias judiciárias. Isso não pode ficar assim porque é uma acusação muito grave, que interfere na permanência de um clube na primeira divisão, em seu orçamentos e uma série de coisas", relatou o dirigente, que na época do jogo tinha 20 anos de idade.

Siga Mauro Cezar no Twitter

Siga Mauro Cezar no Instagram

Siga Mauro Cezar no Facebook

Inscreva-se no Canal Mauro Cezar no YouTube