PUBLICIDADE
Topo

Mauro Cezar Pereira

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Internacional fez 10 gols em 2 jogos pela Libertadores. Ramírez já serve?

Miguel Ángel Ramírez conversa com Taison - MIGUEL NORONHA/AGÊNCIA F8/ESTADÃO CONTEÚDO
Miguel Ángel Ramírez conversa com Taison Imagem: MIGUEL NORONHA/AGÊNCIA F8/ESTADÃO CONTEÚDO
Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN.

05/05/2021 23h12

Miguel Ángel Ramírez foi criticadíssimo depois da desastrosa estreia do Internacional na Libertadores, derrotado na altitude de La Paz pelo Always Ready. Eram pertinentes as reações após o time perder como perdeu. Mas houve quem fosse além, com apenas 52 dias de trabalho o espanhol era questionado de maneira absurda por setores de mídia e torcida.

Na rodada seguinte, 4 a 0 sobre o Deportivo Táchira, mesmo com o time atuando com dez homens desde os minutos 14 do segundo tempo, devido à expulsão de Palacios, o que não impediu o time de seguir agredindo, buscando mais gols. E o placar foi até ampliado com jogada que teve participação de dois homens ofensivos que vieram do banco na etapa final, Marcos Guilherme e Yuri Alberto, que mandou para as redes.

Na noite desta quarta-feira a equipe colorada enfiou nada menos do que 6 a 1 no Olímpia, velho adversário, algoz da dramática eliminação da Libertadores em 1989, em pleno Beira-Rio, batendo o time treinador por Abel Braga (3 a 2) e avançando na disputa de pênaltis. Triunfo marcante, 32 anos depois e dez gols assinalados nos dois jogos em casa, com aparente calma para que Ramírez possa seguir construindo um novo, e forte, Internacional.

Siga Mauro Cezar no Twitter

Siga Mauro Cezar no Instagram

Siga Mauro Cezar no Facebook

Inscreva-se no Canal Mauro Cezar no YouTube

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL