PUBLICIDADE
Topo

Mauro Cezar Pereira

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Vasco perde na estreia, mas é bom lembrar ano no qual "o respeito voltou"

MT disputa com Romarinho da Portuguesa - Thiago Ribeiro/AGIF
MT disputa com Romarinho da Portuguesa Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF
Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN.

03/03/2021 23h13

Rebaixado pela quarta vez para a segunda divisão do campeonato brasileiro, o Vasco estreou no Estadual do Rio de Janeiro perdendo, em casa, para a Portuguesa (0 a 1). Era um time repleto de garotos. Um cenário fora do padrão, com o clube tentando se organizar para formar uma equipe competitiva adiante e praticamente cumprindo uma obrigação ao entrar no gramado de São Januário seis dias depois de disputar a última partida da Série A 2020, que confirmou mais uma queda para a Série B.

O torcedor vascaíno pode sentir-se mais incomodado ainda, pensar que esse jogo pode ter representado um sinal de mais uma campanha vexatória, como no Carioca do ano passado, quando era dirigido por Abel Braga. Mas até que ponto isso é relevante? Não seria o caso de o clube buscar uma real reestruturação para disputar a segundona com a possibilidade da obtenção de um acesso mais tranquilo do que o último, sob vaias, em 2016, no Maracanã cheio diante do Ceará?

Marcelo Cabo, técnico que terá a missão de montar um novo time, conhece bem essa situação, está acostumado a trabalhar em times com o objetivo que o Vasco terá em 2021, embora suas camisas não sejam pesadas como a do clube carioca. Certamente já está peneirando quem possa ser útil entre os meninos que perderam para a Lusa da Ilha do Governador. Porque, sem recursos e com receitas estranguladas, é ali que clube e treinador terão que achar soluções.

Em 2015, Eurico Miranda retornou à presidência do clube e adotou o slogan "O Respeito Voltou". Foi campeão carioca e rebaixado no Brasileiro. Obviamente muitos torcedores trocariam o título pela permanência na primeira divisão. Ganhar o Estadual seria saboroso para os vascaínos, evidentemente, ainda mais que, para isso, superaria o maior rival, Flamengo, em alta e novamente campeão nacional. Mas um eventual troféu carioca não vale mais do que a volta à Série A.

Siga Mauro Cezar no Twitter

Siga Mauro Cezar no Instagram

Siga Mauro Cezar no Facebook

Inscreva-se no Canal Mauro Cezar no YouTube

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL