PUBLICIDADE
Topo

Mauro Cezar Pereira

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Palmeiras derrota o Grêmio por 1 a 0 no jogo da previsibilidade

Luiz Adriano e Paulo Miranda duelam na final  - Fernando Alves/AGIF
Luiz Adriano e Paulo Miranda duelam na final Imagem: Fernando Alves/AGIF
Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN.

28/02/2021 23h07

Os defensores do campeonato brasileiro com mata-mata alegam que o formato é mais emocionante. Se isso for verdade, Grêmio x Palmeiras aparentemente abriram a decisão da Copa do Brasil dispostos a colocar em dúvida essa "máxima".

Como era esperado, uma partida fraca, que no primeiro tempo foi bem sem graça, com os dois times pouco criando. Até que Gustavo Gomez abriu o placar em potente cabeçada que Paulo Victor aceitou. Erro do goleiro e do sistema defensivo gremista, que não marcou o zagueiro paraguaio.

A opção do técnico Renato "Gaúcho" Portaluppi não tinha qualquer justificativa técnica. Paulo Victor é um arqueiro irregular ao extremo e inferior a Vanderlei. Se em pênaltis é mesmo melhor, como crê, faria mais sentido guarda-lo para uma eventual disputa de penais na peleja de volta.

O jogo ficaria mais previsível aos 19 minutos da etapa final, quando Luan foi expulso. Com um homem a menos, naturalmente o Palmeiras recuou para defender a vantagem na ida. E conseguiu, porque no jogo da previsibilidade, tudo acontecia como já se imaginava, é claro.

De diferente, apenas as arrancadas de Ferreirinha, que deixou mal o lateral-esquerdo Viña. Mas nem as jogadas do pontinha arisco mudaram o placar. A defesa palmeirense levava vantagem sobre o previsível ataque tricolor e, assim, a peleja se estendeu até o fim. Continua domingo que vem, em São Paulo.

Siga Mauro Cezar no Twitter

Siga Mauro Cezar no Instagram

Siga Mauro Cezar no Facebook

Inscreva-se no Canal Mauro Cezar no YouTube

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL