PUBLICIDADE
Topo

Com transmissões, Flamengo fatura menos do que times pequenos no Estadual

De Arrascaeta encara a marcação na semifinal Flamengo x Volta Redonda - Thiago Ribeiro/AGIF
De Arrascaeta encara a marcação na semifinal Flamengo x Volta Redonda Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF
Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN.

06/07/2020 14h39

Classificação e Jogos

O Flamengo terminará o Campeonato Estadual do Rio de Janeiro como o clube que menos faturou com direitos de transmissão de TV. Ao rejeitar os cerca de R$ 18 milhões que a Globo ofereceu a cada um dos quatro times da primeira divisão nacional que disputam o certame, os rubro-negros deixaram de arrecadar cerca de R$ 16 milhões.

O atual campeão fará diante do Fluminense, quarta-feira, seu 15º jogo no campeonato. Se chegar ao bi nesta partida, ao final da competição terá faturado com transmissões, seja por televisão ou via internet, em apenas dois compromissos, ante Boavista e Volta Redonda. Ambos com produção própria, na Taça Rio, somando 13 pelejas sem esse tipo de receita.

Como o sorteio de segunda-feira determinou mando tricolor na final do segundo turno, o Flamengo nada irá faturar no clássico. Nos 12 jogos anteriores à primeira transmissão própria, quarta passada pela Fla TV frente ao Boavista, também não houve receita. Ao todo, 11 não foram sequer exibidos.

A exceção foi contra a Portuguesa, no começo da pandemia, mostrado ao vivo, após acordo, em site da Globo e na Fla TV, sem faturamento, exceto pela monetização no YouTube. Como o O UOL revelou na sexta-feira, o Flamengo arrecadou pouco menos de R$ 900 mil contra o Boavista. Descontados custos de produção, restaram pouco mais de R$ 800 mil.

Na confusa transmissão da semifinal da Taça Rio frente ao Volta Redonda, o próprio clube destacou, em nota no site oficial, que "arrecadou pouco mais de R$ 1 milhão". Em suma, as receitas de transmissão do Flamengo no Campeonato Estadual edição 2020 não vão além de aproximadamente R$ 2 milhões. É menos do que os clubes pequenos embolsaram.

A divisão da receita de transmissão para os demais clubes, fora os quatro grandes, é feita pela Federação. Quatro deles formam um bloco intermediário, Volta Redonda, Madureira, Bangu e Boavista. O blog apurou que cada um leva cerca de R$ 4,5 milhão. Os demais (Portuguesa, Cabofriense, Macaé e Resende) faturam em torno de R$ 2,2 milhões.

Isso significa que por transmissões o Flamengo deverá embolsar menos do que todos os outros 11 clubes que disputaram o Campeonato Estadual de 2020. Como o UOL publicou, houve a possibilidade de acertar com a Globo algo em torno de R$ 1 milhão por partida restante após a paralisação causada pela pandemia do novo coronavírus. Os rubro-negros rejeitaram.

Como o time fará pelo menos quatro jogos após a retomada, teria pelo menos o dobro do que alcançou. Se dividirmos os cerca de R$ 2 milhões arrecadados pelo Flamengo por 15 partidas, a média será de R$ 133 mil. O Vasco atuou 11 vezes e leva R$ 1,636 milhão. O Botafogo, com 12 aparições, R$ 1,5 milhão, e o Fluminense, com 14, R$ 1,285 milhão.

Mauro Cezar Pereira