PUBLICIDADE
Topo

Remendado, Carioca pode ter o Vasco (da Série A) x Macaé com vários Sub-20

O Vasco enfrenta o Macaé domingo em São Januário - GettyImages
O Vasco enfrenta o Macaé domingo em São Januário Imagem: GettyImages
Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN.

17/06/2020 13h37

A volta do campeonato carioca tem a marca do improviso. Remendos foram feitos para que os clubes de menor investimento pudessem levar jogadores a campo, a ponto de ser possível jogar apenas com atletas amadores.

Sim, um time inteiro poderá atuar nessa reta final do Estadual do Rio de Janeiro somente com jogadores que ainda são do elenco Sub-20, por exemplo. E sem contrato profissional, como destacou o BR Contracts.

"O Conselho Arbitral, dentro da forma estatutária, debateu e aprovou por unanimidade a pauta de aumentar a permissão para inscrever jogadores sem contrato profissional, com o único objetivo de auxiliar os clubes de menor investimento", informou ao blog a Federação.

Os clubes retornam ao certame para receber o que resta de quotas pela transmissão dos jogos pela televisão. Contudo, os chamados "pequenos" não recontrataram todos jogadores que integravam o elenco antes da paralisação.

Os quatro grandes da Série A do Brasileiro, assim como Volta Redonda na C, Bangu, Cabofriense e Portuguesa, na D, a priori terão calendário após o Estadual. Isso significa que antes da pandemia já planejavam manter atletas sob contrato por mais tempo.

Não fosse a pandemia, o certame da Ferj já teria se encerrado. O BR Contracts destaca que dos 12 clubes da fase inicial, quatro não têm calendário para 2020 após o Estadual: Madureira, Resende, Boavista e Macaé.

O Madureira tem 25 profissionais registrados, 15 deles ainda com idade Sub-20 e seis que "estouraram" a idade da divisão de base. O Resende tem 21, sete que cabem no Sub-20 e sete que agora acima da faixa etária.

No caso do Boavista é diferente dos demais considerados clubes pequenos. Lá são 28 jogadores profissionais registrados, um deles ainda com idade de juniores e outro que recentemente estourou a idade.

Nesse cenário, são muitos os inscritos ainda amadores, sem salários ou que recebem ajuda de custo. Na prática, valores baixos na comparação com os profissionais dispensados com o encerramento de seus contratos.

Assim, clubes pequenos não terão as folhas de pagamento de meses anteriores em junho e julho. Mas receberão o que lhes resta de quota de TV e levarão a campo equipes enfraquecidas, com atletas jovens e inexperientes.

Domingo, às 16 horas, em São Januário, os profissionais do Vasco, integrante da primeira divisão nacional, deverão encarar vários Sub-20 do Macaé. Já Madureira x Resende, domingo às 15h45 em Conselheiro Galvão, poderá ser quase um jogo de juniores. Um campeonato marcado por remendos.

Mauro Cezar Pereira