PUBLICIDADE
Topo

Crise no futebol vai piorar se a Premier League não terminar o campeonato

Hazard foi a mais cara contratação do Real Madrid para a atual temporada - GettyImages
Hazard foi a mais cara contratação do Real Madrid para a atual temporada Imagem: GettyImages
Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN.

10/05/2020 14h52

O Real Madrid anunciou, há pouco mais de um mês, que reduziria os salários de seus jogadores entre 10% e 20% por causa da crise causada pela pandemia do novo coronavírus. Segundo o jornal esportivo espanhol As, agora a diretoria do clube merengue negocia outra redução, desta vez de 30%, na remuneração do elenco principal para a temporada 2020/2021. E seria um corte a mais, ou seja, independente do anteriormente comunicado.

Se o time mais midiático do mundo, e também um dos mais ricos, arranca fatias gordas do dinheiro que seus craques recebem mensalmente, não se pode esperar algo muito diferente dos demais. Em meio a tal cenário de recessão e imensa incerteza, espanta a quantidade de "notícias" que pipocam na mídia europeia sobre contratações. Difícil crer em investimentos pesados nesse cenário que se apresenta há alguns meses em todo o mundo.

Essa situação se estenderá por um período desconhecido, ante tanta imprevisibilidade. Com um possível agravante: se a Premier League não voltar, estima-se que os times ingleses e a liga terão que devolver perto de 1 bilhão de libras em direitos de transmissão já recebidos. Sem dinheiro, os clubes do campeonato mais rico conseguirão pagar aos demais, de diferentes países, as parcelas pelas contratações feitas? Os efeitos colaterais seriam gravíssimos.

Mauro Cezar Pereira