PUBLICIDADE
Topo

Fla e Corinthians em 1º: ranking das folhas de pagamento da Série A na CLT

Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN.

27/03/2020 04h00

Em 2 de outubro, o blog publicou a última versão de 2019 das folhas de pagamento dos clubes da Série A, sem contar o direito de imagem, ou seja, os valores registrados nas carteiras de trabalho dos profissionais, na CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). As informações às quais tivemos acesso são resultado de levantamento feito a partir dos registros dos jogadores de futebol no sistema da CBF.

A lista contém os custos mensais dos 20 integrantes da primeira divisão, sendo que o direito de imagem pode ser até 40% em cima da remuneração. Isso significa que se um jogador que ganha R$ 10 mil pode embolsar cerca de R$ 4.000 por mês dessa maneira e R$ 6.000 como salários "na carteira" de trabalho. O levantamento foi feito pelo BR Contracts (clique aqui e acesse).

Não é surpreendente ver o Flamengo em primeiro do ranking, tal o investimento feito em seu elenco, ainda mais com a valorização de vários jogadores após os títulos brasileiro e da Libertadores no ano passado. O desempenho e os troféus conquistados proporcionaram a algumas estrelas do clube carioca ótimos reajustes em seus vencimentos.

Mas o resultado impressionante é o do Corinthians, que ao lado dos rubro-negros é o clube que mais desembolsa mensalmente para remunerar seus atletas e treinador. Contudo, os corintianos passam longe de terem grupo de atletas tão qualificados tecnicamente. Até o rival rico do momento, o Palmeiras, fica para trás na folha de CLT.

O custo do elenco do Atlético Mineiro, empatado como o do São Paulo, chama a atenção, como o do Internacional, R$ 2 milhões mais caro do que o do Grêmio. Já os quatro grandes paulistas aparecem entre os sete mais caros. Na lista abaixo, Vasco e Atlético Goianiense estão sem treinadores, ou seja, quando contratarem novos profissionais terão suas somas alteradas.

Folhas de pagamento na carteira*:

Corinthians - R$ 8,8
Flamengo - R$ 8,8
Palmeiras - R$ 8,2
Internacional - R$ 6,3
São Paulo - R$ 5,1
Atlético-MG - R$ 5,1
Santos - R$ 4,8
Grêmio - R$ 4,3
Bahia - R$ 3,6
Fluminense - R$ 3,5
Vasco - R$ 2,9
Athletico - R$ 2,5
Goiás - R$ 2,2
Botafogo - R$ 2,1
Coritiba - R$ 2,1
Fortaleza - R$ 1,8
Ceará - R$ 1,8
Red Bull Bragantino - R$ 1,7
Sport - R$ 1,4
Atlético-GO - R$ 0,8

* em R$ milhões

Mauro Cezar Pereira