PUBLICIDADE
Topo

Marcel Rizzo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Fifa vai alterar regulamento da Copa do Qatar para permitir 26 convocados

Neymar durante amistoso Brasil x Japão; seleções terão 26 jogadores na Copa - Charly Triballeau/AFP
Neymar durante amistoso Brasil x Japão; seleções terão 26 jogadores na Copa Imagem: Charly Triballeau/AFP
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

14/06/2022 11h20

A Fifa vai alterar o regulamento específico da Copa do Mundo do Qatar para permitir que os treinadores convoquem 26, e não 23, jogadores para o torneio. Na segunda-feira (13), a Ifab (International Board), o conselho que regula o futebol, permitiu que aumente de 12 para 15 o número de atletas que podem ficar no banco de reservas, abrindo caminho para o acréscimo de convocados.

O regulamento do Mundial foi publicado em 15 de dezembro de 2021, com o número máximo de convocados nos tradicionais 23. Após pedido das confederações para o aumento a 26, e com a possibilidade de todos estarem disponíveis para os jogos (11 titulares e 15 suplentes), a Fifa enviou a proposta à Ifab, já que era necessário mexer na regra 3 do futebol alterando o máximo de reservas disponíveis no banco de 12 para 15.

A Fifa já tem o aval de seu Conselho para mexer no regulamento específico da Copa. O número de jogadores que terão que ser enviados na lista provisória será mantido em 35. Só que desta vez serão nove cortados, para se chegar a 26, e não mais 12. A lista provisória normalmente é enviada um mês antes do início do Mundial, que será em 21 de novembro, e a final dez dias antes. Os 32 participantes podem trocar atletas somente até 24 horas antes de sua estreia e com lesão comprovada.

O aumento de convocados tem a pandemia e o calendário como explicações. A possibilidade de contaminação de jogadores por covid-19 durante o torneio faz, na visão das comissões técnicas, necessário ter mais opções para substitui-los, já que eles terão que ser isolados do restante da delegação.

Mas a realização da Copa entre novembro e dezembro (para minimizar o calor do Oriente Médio), e não nos tradicionais meses de junho e julho, também foi usado como argumento. Como a temporada de clubes estará em andamento na maioria dos países, incluindo a elite europeia que cede mais jogadores à Copa, a liberação desses atletas às seleções só ocorrerá dia 14 de novembro, uma semana antes da abertura do torneio no dia 21.

Normalmente essa liberação ocorre três semanas antes, incluído período de descanso a esses profissionais de sete dias. Há portanto preocupação com lesões. A Copa também vai durar menos dias, 28 em vez de 32, com menos tempo de descanso entre as partidas.