PUBLICIDADE
Topo

Marcel Rizzo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Veja os detalhes que definem o chaveamento dos mata-matas da Libertadores

Palmeiras fez a melhor campanha na fase de grupos da Libertadores-2022 - Marcello Zambrana/AGIF
Palmeiras fez a melhor campanha na fase de grupos da Libertadores-2022 Imagem: Marcello Zambrana/AGIF
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

27/05/2022 04h00

A Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) define em seus sorteios das oitavas de final da Libertadores e da Sul-Americana todo o chaveamento até as finais em jogos únicos. Mas como é feita essa divisão de confrontos, ou seja, quem enfrenta quem ao avançar para as quartas de final, depois semifinal e, por fim, a finalíssima?

Hoje (27), às 13h (de Brasília), serão definidos os cruzamentos das fases de mata-mata dos dois torneios sul-americanos com a presença de 11 clubes brasileiros entre os 32 — seis na Libertadores (Palmeiras, Flamengo, Atlético-MG, Corinthians, Athletico e Fortaleza) e cinco na Sul-Americana (Ceará, São Paulo, Santos, Inter e Atlético-GO).

Normalmente é difícil entender como se dá os cruzamentos no televisionamento e não fica claro porque um time sorteado, por exemplo, para o terceiro confronto (jogo C) só encara nas oitavas o do sexto encontro, o F, e depois nas quartas quem passar de E x D. Como se define isso?

O chaveamento é predefinido pelo regulamento divulgado com meses de antecedência, como o exemplo abaixo (AxH, ExD, BxG e FxC):

A E
x x
H D

B F
x x
G C

Os times do confronto A cruzam nas quartas com os do H, os do E contra os do D, formando um lado da chave até a semifinal. Do outro estão B x G e F x C. Mas como se distribui os times por essas letras?

Não tem nada a ver com a campanha na fase de grupos, mas sim com o próprio sorteio. Já definido em regulamento, a distribuição é feita pela ordem dos times que são sorteados no pote 2, onde estão os segundos colocados na etapa de grupos e que são escolhidos primeiro para cada confronto.

Por exemplo: o primeiro time que é escolhido no pote 2 vai direto para o confronto A e o primeiro time sorteado no pote 1, dos líderes na fase de grupos, é seu adversário nas oitavas. Na sequência se tira a bolinha do pote 2 e o sorteado vai para o jogo B, com o rival saindo no pote 1. Note que esses quatro times caem em lados opostos da chave e só se enfrentam na final.

A sequência continua com os terceiros sorteados fazendo o jogo C, os quartos o D, os quintos o E, os sextos o F, os sétimos o G e os oitavos o H. Os cruzamentos a partir das quartas seguem o modelo que está no regulamento mostrado acima.

Portanto, se estiver vendo o sorteio hoje e seu time for o segundo a ser sorteado, ele estará no jogo B e nas quartas poderá cruzar com um rival do encontro G, então preste atenção nas sétimas bolinhas que vão sair nos potes 2 (dos segundos colocados na fase de grupos) e 1 (dos líderes). Se o seu time for o quarto sorteado (jogo D), cruzará com os quintos escolhidos (E), sempre seguindo o cruzamento já predefinido no regulamento.

Na Sul-Americana, a única diferença está nos potes: no 2, sempre o primeiro a ser sorteado, estão os oito times que migraram da Libertadores como terceiros colocados dos grupos e no pote 1 estão os oito que iniciaram a Sul-Americana e venceram suas chaves.

A final em partida única da Copa Sul-Americana será em 1º de outubro, no estádio Mané Garrincha, em Brasília, e a da Libertadores em 29 de outubro, em Guayaquil, no Equador.