PUBLICIDADE
Topo

Marcel Rizzo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Casimiro na Libertadores? Pacote de highlights deve ficar com redes sociais

Disney e Facebook têm parceria para transmissão da Libertadores em 2022 - Reprodução
Disney e Facebook têm parceria para transmissão da Libertadores em 2022 Imagem: Reprodução
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

27/04/2022 11h35

Novidade na concorrência dos direitos de transmissão da Libertadores e da Sul-Americana, o pacote de highlights, os melhores momentos das partidas que poderão passar com delay (atraso) de alguns minutos, foi desenhado para redes sociais. Por isso o Facebook é considerado, pelo mercado, o favorito para levar os direitos dessa plataforma para a Libertadores.

O pacote de melhores momentos caberia também em modelo de transmissão como o feito pelo streamer Casimiro Miguel no Twitch, de reações às imagens dos jogos, mesmo com o pequeno delay. Pelo alto valor envolvido, R$ 50 milhões por ano, é difícil que haja uma venda direta para esses canais, mas é possível que indiretamente eles possam entrar no negócio — quem vencer a concorrência fica com os direitos do campeonato que comprou entre 2023 e 2026.

Um cenário possível é que o vencedor da concorrência dos highlights explore o formato de reações e comentários dentro de sua plataforma. Por exemplo: o Facebook ganha a concorrência e faz uma ação com Casimiro, ou outro streamer, para reagir aos jogos, desde que dentro do Facebook. Hoje a empresa detém o pacote fechado de partidas às quintas-feiras, mas um acordo com o Grupo Disney (ESPN e Star+) faz com que haja intercâmbio de jogos entre as duas plataformas.

A concorrência
A Conmebol negocia quatro pacotes: além dos highlights tem um para a TV aberta e dois para a fechada. Na aberta, a Globo, detentora dos direitos até 2020, e o SBT, que tomou o lugar após a emissora do Rio rescindir com o início da pandemia, travam a disputa pelos direitos da Libertadores, apurou a coluna. São as duas empresas que interessam à Conmebol, por um principal motivo: retorno aos patrocinadores da competição.

Mais do que dinheiro ter a exibição de seus parceiros durante a transmissão é ponto fundamental, e inegociável, para a Conmebol neste momento. Quando detentora a Globo os omitia, o que o contrato permitia, mas o SBT tem exibido as marcas desde 2020. Mesmo se a emissora carioca oferecer mais dinheiro do que os paulistas, mas sem essas inserções no pacote, a escolha se daria pelo concorrente. A princípio a Record está fora da disputa.

Em TV fechada, como há dois pacotes, a disputa está mais aberta para a Libertadores. É improvável que o Grupo Disney perca um desses. A questão é se eles ficarão com o premium, que dá direito a escolher primeiro o cardápio de partidas, ou com o segundo nível, que esteve com o Facebook nos últimos anos, com confrontos às quintas-feiras.

A Warner Media, com seu streaming HBO Max que detém os direitos da Liga dos Campeões da Europa para o Brasil, enviou uma oferta. O Grupo Globo, para o SporTV, que dividiu por anos a transmissão com a Fox na TV fechada, também fez uma proposta com valor alto. Segundo o site Notícias da TV, o grupo Paramount (para o streaming Paramount+) e as operadoras Claro/Sky (em parceria com a BandSports), que hoje têm a TV Conmebol no sistema pay-per-view, também entraram na concorrência.

Na Copa Sul-Americana, a Rede TV demonstrou interesse em TV aberta. Há entendimento de que mesmo se o pacote de aberta não for vendido, haverá demanda dessa vez na fechada, o que deve significar o fim, ou mudança de perfil, da TV Conmebol. O resultado da concorrência sairá nos próximos dias.