Topo
REPORTAGEM

Conflito militar em sede do Mundial que terá o Palmeiras preocupa Fifa

Marcel Rizzo

Colunista do UOL

25/01/2022 04h00

A direção da Fifa monitora o conflito militar na região de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, que receberá o Mundial de Clubes entre 3 e 12 de fevereiro — com a participação do Palmeiras. Não há, neste momento, intenção da federação internacional em alterar o calendário do campeonato.

Nesta segunda-feira (24), dois mísseis balísticos disparados pelos rebeldes huthis do Iêmen foram interceptados e destruídos pelos Emirados Árabes na região de Abu Dhabi. Houve também ataques dos huthis à Arábia Saudita. Vai haver aumento de segurança para clubes, funcionários da Fifa e torcedores antes e durante o campeonato.

  • De segunda a sexta, às 17h, o Canal UOL traz, ao vivo, as últimas informações do mercado da bola. Inscreva-se no YouTube de UOL Esporte e confira também as lives dos clubes, Posse de Bola e UOL News Esporte:

"O ataque não causou baixas e os restos dos mísseis balísticos interceptados e destruídos caíram em áreas separadas ao redor do emirado de Abu Dhabi", anunciou em comunicado o Ministério da Defesa dos Emirados Árabes.

A sede do Mundial faz parte de uma coalizão que oferece desde 2015 apoio militar ao governo do Iêmen contra os huthis. Os rebeldes controlam o norte do país e a capital, Sanaa.

Os ataques recentes contra Emirados Árabes Unidos e Arábia Saudita ocorrem após um bombardeio atribuído à coalizão militar contra uma prisão controlada pelos rebeldes no norte do Iêmen, na sexta-feira (21). Pelo menos 70 pessoas morreram. Antes, dia 17, os huthis assumiram ataque a um tanque de combustível em Abu Dhabi, que levou à morte de três pessoas.

A coluna apurou que a Fifa pediu ao governo dos Emirados Árabes garantia de que haverá segurança aos clubes participantes e aos torcedores que viajarem ao país. Haverá aumento de proteção a pontos estratégicos, como estádios, centros de treinamento e hotéis. Há preocupação extra porque há times dos Emirados Árabes (Al Jazira) e Arábia Saudita (Al Hilal) que participam da competição e poderiam ser alvos dos rebeldes.

O Palmeiras estreia no Mundial dia 8 de fevereiro, já na semifinal, contra o vencedor de Monterrey (México) e Al Ahly (Egito), que se enfrentam no dia 5. Os brasileiros já viajam a Abu Dhabi em 2 de fevereiro. Também participam da competição Chelsea (Inglaterra), Al Hilal (Arábia Saudita), Al Jazira (representante do país sede) e o AS Pirae (Taiti).

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Conflito militar em sede do Mundial que terá o Palmeiras preocupa Fifa - UOL

Obs: Link e título da página são enviados automaticamente ao UOL


Marcel Rizzo