PUBLICIDADE
Topo

Marcel Rizzo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Mundial com Palmeiras ou Fla terá ingresso mais barato do que Libertadores

Torcedores acompanham Palmeiras x Tigres na semi do Mundial 2020 - REUTERS/Mohammed Dabbous
Torcedores acompanham Palmeiras x Tigres na semi do Mundial 2020 Imagem: REUTERS/Mohammed Dabbous
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

02/11/2021 10h24

Diferente da edição 2020, que por causa da covid-19 ocorreu em fevereiro de 2021, o Mundial de Clubes 2021 (que novamente será adiado para o ano seguinte por problemas causados pela pandemia) terá torcedores estrangeiros podendo viajar aos Emirados Árabes, sede do torneio que será realizado provavelmente em fevereiro de 2022. Para não ser necessária uma quarentena de dez dias, o viajante terá que ter as duas doses da vacina contra a covid.

No Qatar-2020, organizado em fevereiro de 2021, devido à pandemia somente fãs locais puderam comprar ingresso, o que impediu que a torcida palmeirense pudesse ver in loco seu time estrear em Mundiais da Fifa. Palmeiras ou Flamengo, quem vencer a final da Libertadores de 27 de novembro, no Uruguai, será o representante da América do Sul nos Emirados Árabes.

E se os brasileiros estão tendo que desembolsar um mínimo de US$ 200 (R$ 1,1 mil) para acompanhar no estádio Centenário a decisão do continental, para o Mundial os ingressos devem custar bem menos. A estimativa é que o bilhete mais caro não ultrapasse os US$ 100 (R$ 550) — para a edição 2020 no Qatar havia ingressos por menos de US$ 15 (R$ 85).

O campeonato ocorreria inicialmente no Japão, em dezembro, mas a federação local acabou desistindo de organizar porque não poderia colocar torcedores nos estádios, por causa da covid-19, o que levaria a prejuízo. A Fifa optou então pelos Emirados Árabes, que já recebeu o torneio outras quatro vezes (2009, 2010, 2017 e 2018).

Já estão classificados para o Mundial deste ano o Chelsea, da Inglaterra, campeão da Liga dos Campeões, o Auckland City, da Nova Zelândia, indicado pela Confederação da Oceania, já que o seu continental foi novamente cancelado por causa da pandemia, o Al Ahly, do Egito, vencedor da Champions africana e terceiro colocado do Mundial 2020, quando venceu o Palmeiras na decisão do 3º lugar nos pênaltis, além do Monterrey, do México, que ganhou o continental da Concacaf e o Al-Jazira, como representante do país-sede.

O Mundial no formato atual, com sete participantes (o campeão de cada continente, mais um representante do país-sede) é realizado desde 2005, mas a edição de 2021 pode ser a última. Como o blog revelou, a Fifa não colocou em seu orçamento de 2022 previsão para o torneio, que por causa da Copa do Mundo em novembro e dezembro, para minimizar o calor do Qatar, não terá calendário para acontecer.

O Super Mundial de Clubes com 24 participantes, que deveria estrear em 2021 na China, mas foi cancelado por causa da covid-19, não tem data mais para acontecer (e a prioridade da Fifa agora é mexer no calendário para que a Copa do Mundo de seleções ocorra a cada dois anos).