PUBLICIDADE
Topo

Marcel Rizzo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Por que as finais da Libertadores e da Sul-Americana mudaram de datas

Estádio Centenário, em Montevidéu, terá as finais dos torneios da Conmebol em 2021 - GettyImages
Estádio Centenário, em Montevidéu, terá as finais dos torneios da Conmebol em 2021 Imagem: GettyImages
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

27/07/2021 13h15

A Conmebol decidiu otimizar a operação das finais da Libertadores e da Sul-Americana, que serão no Centenário, em Montevidéu, e diminuiu de 14 para sete dias o intervalo entre as decisões. A intenção é facilitar o trabalho de empresas terceirizadas contratadas para a organização dos jogos e diminuir os gastos de manutenção e administração do estádio durante esse período.

A final da Libertadores será agora no dia 27 de novembro e a da Sul-Americana uma semana antes, dia 20 — são dois sábados. Inicialmente, a Libertadores teria seu confronto dia 20 e a Sul Americana duas semanas antes, dia 6. As duas competições têm desde 2019 finais únicas, mas será a primeira vez que o mesmo estádio receberá os dois eventos.

Em 2019, Lima, no Peru, teve a Libertadores e Assunção, no Paraguai, a Sul-Americana, e em 2020 (jogos realizados em 2021 por causa dos adiamentos causados pela pandemia) o Maracanã, no Rio, recebeu a Libertadores e o Mario Kempes, em Córdoba (ARG), a Sul-Americana.

Para 2021 a Conmebol abriu um processo de disputa que, inicialmente, não tinha Montevidéu como candidata para nenhum dos dois torneios — a capital uruguaia pleiteava a decisão da Libertadores de 2022. Mas a promessa do governo uruguaio de que haverá público no estádio em novembro, em meio à pandemia de covid-19, fez com que a direção da confederação sul-americana ignorasse a própria concorrência e escolhesse o Centenário — as finais de 2022 foram entregues a Guayaquil (EQU), a da Libertadores, e a Brasília, no Mané Garrincha, a da Sul-Americana.

O retorno que a direção da Conmebol tem do governo uruguaio é de que é possível que o estádio possa receber entre 70 e 80% de sua capacidade em novembro, o que seriam mais de 40 mil pessoas presentes — mais de 50% da população local já recebeu duas doses da vacina contra a covid-19 (no Brasil, por exemplo, são 20%). Recentemente, a Conmebol liberou que os jogos de suas competições de clubes voltem a ter torcida, mas depende do aval de cada governo — inclusive para a capacidade autorizada nas arenas.

Para novembro, a Conmebol pretende realizar eventos de seus patrocinadores em Montevidéu no espaço de 14 dias em que as duas finais ocorrerão, algo que não pôde acontecer em 2020/2021 por causa da pandemia. Haverá cota fixa de ingressos para os times finalistas, mas provavelmente com pré-requisitos para viagem e entrada no estádio, como estar totalmente vacinado contra a covid-19 (duas ou uma doses, a depender do laboratório) ou com teste RT-PCR negativo.

Flamengo, Palmeiras, São Paulo e Atlético-MG são os brasileiros classificados para as quartas de final da Libertadores — o Fluminense pode ser o quinto se passar pelo Cerro Porteño, na próxima terça-feira (3). Na Sul-Americana, Santos, Athletico-PR e Bragantino estão nas quartas.