PUBLICIDADE
Topo

Marcel Rizzo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Conmebol diz que 14 atletas deram positivo para covid-19 na Copa América

Muriel se livra da marcação de La Mantia em Colômbia x Venezuela, pela segunda rodada da Copa América  - Alexandre Schneider/Getty Images
Muriel se livra da marcação de La Mantia em Colômbia x Venezuela, pela segunda rodada da Copa América Imagem: Alexandre Schneider/Getty Images
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

18/06/2021 10h43

A direção da Conmebol diz que são 14 jogadores, até o momento, que deram positivo em testagem para a covid-19 na Copa América - os nomes não são revelados. Segundo a entidade, outros nove membros de delegações se contaminaram, totalizando 23 entre as dez seleções participantes. O total de positivos é 69, somando-se portanto 46 prestadores de serviço na contagem.

A quantidade de pessoas envolvidas na Copa América que testaram positivo até agora gerou polêmica nos últimos dias porque os números divulgados pelo Ministério da Saúde e os contabilizados pela Conmebol não batem, como mostraram Danilo Lavieri e Gabriel Carneiro no UOL Esporte.

No início da semana, o governo federal primeiro divulgou que eram 33 membros de delegações com testes positivos. Em uma segunda nota, esse número caiu para 27. O Ministério da Saúde informou que só repassa os dados que recebe da Conmebol.

Oficialmente, a confederação sul-americana evita questionar o governo federal, até porque há uma espécie de dívida de gratidão da entidade pelo Brasil ter aceitado receber a Copa América em meio à pandemia depois das desistências das sedes originais, a Colômbia pelos distúrbios políticos e a Argentina por causa da covid-19.

Nos bastidores, a Conmebol avalia que o Ministério da Saúde errou na contagem e incluiu como membros de delegações pessoas contratadas como prestadores de serviços pelas associações filiadas.

A coluna apurou que a confederação envia ao Ministério da Saúde a listagem de positivos divididos por seleções e por equipamentos usados pela organização, como hotéis, centros de treinamento e estádios.

E que, na avaliação da confederação, prestadores contaminados que trabalham nesses locais podem ter entrado na contagem de seleções que se hospedaram, treinaram ou jogaram por lá.

Por esse motivo a Conmebol pretende divulgar periodicamente um número de testes feitos e de exames positivos, apesar de não revelar nomes ou até mesmo as funções de cada um daqueles que estão com covid-19 e necessitam de isolamento, segundo os protocolos.

Delegações da Venezuela, Bolívia, Peru, Colômbia e Chile já tiveram membros credenciados que testaram positivo para covid-19, antes ou depois da chegada ao Brasil para participar da competição.