PUBLICIDADE
Topo

Marcel Rizzo

River e Boca ignoram Covid com menos inscritos do que Palmeiras e Santos

Marcelo Gallardo, treinador do River Plate que teve suspeita de Covid - GettyImages
Marcelo Gallardo, treinador do River Plate que teve suspeita de Covid Imagem: GettyImages
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

05/01/2021 11h50

Brasileiros e argentinos começam nesta terça-feira (5) a definir os finalistas da Libertadores com critérios diferentes nas montagens dos elencos inscritos na competição. Se Palmeiras e Santos usam o limite estendido pela Conmebol de 50 atletas, River Plate e Boca Juniors ignoraram risco de surto de Covid-19 e mantêm grupos mais enxutos aptos a entrar em campo no torneio.

Como decidiu que não adiaria jogos, devido ao calendário apertado, a direção da Conmebol aumentou de 30 para 50 o máximo de inscritos na Libertadores. Poucos usaram durante a competição esse limite e dois deles foram Palmeiras e Santos, que conviveram com casos de Covid-19 em seus plantéis na temporada que começou em 2020 e só terminará em 2021.

O Palmeiras, como o blog já mostrou, inscreveu sete goleiros. Também manteve inscrito jogador machucado que nem deve retornar mesmo se o time chegar à final do Maracanã, em 30 de janeiro, caso do atacante Wesley.

O Santos tem 22 jogadores inscritos somente para o meio-de-campo, dois times completos portanto apenas para um setor. Os dois clubes brasileiros colocaram muitos garotos da base que, em alguns casos, nem chegaram a estrear pelo profissional.

Os argentinos também tiveram casos de Covid-19. O Boca Juniors teve em setembro um surto parecido com o de Palmeiras e Santos. Pelo menos 22 jogadores foram infectados. Mesmo assim o time de La Bombonera passou longe dos 50 inscritos possíveis na Libertadores, ficando em 35.

O River Plate, que não teve surtos apesar de ter isolado o técnico Marcelo Gallardo em outubro porque ele teve contato com pessoa infectada pela doença, tem apenas 27 inscritos na Libertadores. Se tivesse, por exemplo, um problema igual ao que o Boca Juniors teve em setembro não teria nem o mínimo de sete jogadores para colocar em campo e poderia perder por WO (derrota por 3 a 0).

Os participantes tiveram até sábado passado (2) para fazer até três trocas para as semifinais. Agora, não há mais como mudar ou aumentar o elenco até a final de 30 de janeiro no Maracanã.