PUBLICIDADE
Topo

Marcel Rizzo

Abel Ferreira tem multa no Palmeiras acessível para o mercado internacional

Abel Ferreira decidiu continuar no comando do Palmeiras após receber oferta do Qatar - César Greco / Palmeiras
Abel Ferreira decidiu continuar no comando do Palmeiras após receber oferta do Qatar Imagem: César Greco / Palmeiras
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

04/12/2020 10h11

Quando finalizaram o contrato até dezembro de 2022, com cláusula de renovação automática até dezembro de 2023, a diretoria do Palmeiras e o estafe de Abel Ferreira definiram um valor de multa rescisória alto para os padrões brasileiros: 2,5 milhões de euros (R$ 15,6 milhões em cotação atual). A quantia, entretanto, é acessível para o mercado internacional.

Vale para caso de o clube paulista demitir o treinador, mas também por rescisão de Abel se aceitar uma oferta como a que teve esta semana do Al Rayyan, revelada pelo jornalista Bruno Andrade no portal Goal.

O time do Qatar, por meio de intermediário, avisou ao procurador do atleta que arcaria integralmente, à vista, com o valor da rescisão. O Palmeiras não topou negociar, como mostrou Thiago Ferri no UOL Esporte, e Abel Ferreira, em conversa com a direção alviverde, manifestou o desejo de continuar o recém iniciado trabalho apesar do alto salário oferecido: 3 milhões de euros (R$ 18,7 mi) por ano, o dobro do que recebe no Palmeiras.

A multa é baixa para mercados como do Qatar, da China ou até mesmo clubes médios europeus que possam a vir se interessar por Abel Ferreira no futuro, mas alta para o Palmeiras caso queira demitir o treinador. O valor foi uma exigência do estafe do profissional que sabe que o futebol brasileiro tem como prática demitir técnicos com poucos meses no cargo ou após um ou outro resultado negativo.

Comparando, o Palmeiras pagou R$ 600 mil ao demitir Luxemburgo em outubro e pouco mais de R$ 700 mil a Mano Menezes em dezembro de 2019. As multas eram equivalentes a um mês de salário dos técnicos, uma praxe nos últimos contratos redigidos pelos advogados do Palmeiras, mas que mudou com a chegada de Abel Ferreira que quis um valor fixo mais alto do que seu vencimento mensal de cerca de R$ 800 mil.

Para o PAOK, da Grécia, time com qual Abel Ferreira tinha contrato quando o Palmeiras se interessou foi pago, à vista, cerca de R$ 4 milhões. O clube paulista terá que desembolsar um valor extra aos gregos caso Abel conquiste títulos no Brasil — quantia a depender desse desempenho.

O trabalho de Abel Ferreira, que testou positivo para Covid-19 nesta sexta (4) e terá que ficar alguns dias isolado, está muito bem avaliado pela direção palmeirense e pelos jogadores. Na conversa que a cúpula do clube teve com o treinador sobre a proposta do Al Rayyan, Abel também se disse satisfeito com o que encontrou, como estrutura do centro de treinamento e elenco — ele teve atendido, por exemplo, o pedido da contratação de mais dois zagueiros.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.