PUBLICIDADE
Topo

Marcel Rizzo

Conmebol projeta final da Libertadores em 23 de janeiro e sonha com público

Maracanã será o palco da final única da Libertadores em janeiro de 2021 - GettyImages
Maracanã será o palco da final única da Libertadores em janeiro de 2021 Imagem: GettyImages
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

07/10/2020 12h00

A Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) está em contato com autoridades do Rio de Janeiro para bater o martelo sobre a data da final em jogo único da Libertadores-2020, que só terminará em janeiro de 2021: o dia preferido é 23. O Maracanã será o local, como previamente anunciado.

A conversa inclui procedimentos que poderão ser adotados caso esteja liberada a presença de público, o que hoje é tratado internamente como muito provável. Resta saber qual capacidade do Maracanã estará disponível em janeiro. A confederação sul-americana trabalha ao menos pela autorização a parceiros comerciais, caso o aval para torcedores seja muito limitada.

No calendário revisado de seus torneios de clubes em 2020, a Conmebol deixou três datas possíveis para as finais únicas da Libertadores e da Sul-Americana em janeiro de 2021: 23 (sábado), 24 (domingo) e 30 (sábado). Hoje, a final da Libertadores é tratada nos bastidores como quase certa para 23, mas o martelo ainda não está batido.

Como o Campeonato Brasileiro estará em ação no final de semana de 23 e 24 de janeiro (32ª rodada), o domingo é visto como impossível de se jogar. Há conversa entre Conmebol e CBF para que se confirmada a final no Maracanã no sábado, 23, nenhum jogo do Brasileiro ocorra neste dia mesmo que não haja times brasileiros classificados para a decisão.

Hoje a presença de público está vetada pela CBF nos jogos organizados por ela, mas é possível que haja mudança a partir de novembro. Clubes articulam com os governos de seus estados pela liberação de 30% dos assentos. O Rio já havia autorizado, mas por isonomia, ou seja, para evitar que um clube tenha torcida e outro não a CBF proibiu neste momento a abertura dos portões com o apoio de 19 dos 20 clubes da Série A — só o Flamengo era favorável.

Na Libertadores, a Conmebol não tem previsão de público nos jogos principalmente porque cada país está em estágio diferente da pandemia. Países como Argentina nem retornaram seus torneios locais, portanto qualquer cogitação de torcedores nesses locais é impraticável a médio prazo.

Para a final, entretanto, o jogo único no Brasil e no Rio, cidade que está menos rígida em normas para prevenção da Covid-19, abre possibilidade de haver venda de ingresso, apesar de o processo ser complicado. Há preocupação de como, por exemplo, seria o deslocamento de torcedores de times não brasileiros que estivessem na decisão. Por isso o tema é tratado com cautela.

Para a final única da Copa Sul-Americana, marcada inicialmente para Córdoba (ARG), a Conmebol trabalha com a data de 30 de janeiro, mas nesse caso a presença de público é mais complexa. Há, inclusive, preocupação da entidade sobre como estará o acesso para a Argentina no começo do ano. Não é descartado que a final da Sul-Americana mude de sede.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.