PUBLICIDADE
Topo

Só o Flamengo? Outros times ignoraram aumentar os inscritos na Libertadores

Arrascaeta disputa bola com Byron Castillo durante Barcelona x Flamengo - Dolores Ochoa / POOL / AFP)
Arrascaeta disputa bola com Byron Castillo durante Barcelona x Flamengo Imagem: Dolores Ochoa / POOL / AFP)
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

29/09/2020 13h00

O Flamengo, por opção, não chegou nem perto de ter 50 inscritos na Libertadores, ficou com 34, mas não foi o único clube bem abaixo do novo limite. A Conmebol autorizou a ampliação das listas para evitar que surtos por Covid-19 deixassem os técnicos sem jogadores para escalar. Onze times têm hoje menos inscritos do que o Flamengo, inclusive o poderoso argentino River Plate, com apenas 29.

Somente o Nacional, do Uruguai, atingiu os 50 inscritos. Outros chegaram perto, como Palmeiras, Santos, Olímpia (PAR) e Guaraní (PAR), com 49. Grêmio e Inter inscreveram 47, mais do que os 40 do São Paulo e os 38 do Athletico, outros times brasileiros que não aumentaram suas listas na última revisão de regulamento feito pela confederação sul-americana de futebol.

O surto de casos de Covid-19 no Flamengo na última semana, com 18 contaminados, escancarou o número baixo de inscritos do clube, 34. Não houve perda do prazo para aumentar a lista, em 18 de setembro, mas a confiança de que a quantidade era suficiente.

Para enfrentar o Del Valle nesta quarta-feira (30), no Maracanã, o clube aguarda o resultado do exame de sete jogadores que testaram positivo há dez dias e podem ser liberados para o confronto se negativarem: Bruno Henrique, Diego Ribas, Filipe Luís, Isla, Matheuzinho, Vitinho e Michael. Sem eles são 16 atletas aptos a jogar, quatro goleiros, e três se recuperando de lesão: Diego Alves, Gabigol e Pedro Rocha.

Vice-campeão em 2019, e um dos favoritos para 2020/2021 (a Libertadores só terminará em janeiro do ano que vem), o River Plate também evitou inscrever jovens atletas e permaneceu com 29 inscritos. Se tiver um surto nas próximas semanas, Gallardo pode ter problema para escalar o time.

Pelo regulamento da Libertadores, essas listas não podem mais aumentar e poderá haver trocas de nomes a partir das oitavas de final, cinco. Nas quartas e na semi serão três substituições possíveis, em cada etapa, e para a final única, que será no Maracanã, no Rio, não poderá haver alteração em inscritos.

O time com menos inscritos é o América, da Colômbia, com apenas 26, seguido pelo Delfín, do Equador, com 27. Os outros dois colombianos, Independiente Medellín (29) e Junior Barranquilla (29) também ficaram abaixo dos 30. Del Valle (33), LDU (30) e Barcelona (30), equatorianos, têm menos inscritos do que o Flamengo, assim como o boliviano Jorge Wilstermann (33) e os peruanos Binacional (29) e Alianza Lima (28).

Veja o número final de inscritos de cada um dos 32 times:

Brasil
Palmeiras - 49
Santos - 49
Grêmio - 47
Inter - 47
São Paulo - 40
Athletico - 38
Flamengo - 34

Argentina
Racing - 46
Boca Jrs - 39
Defensa y Justicia - 37
Tigre - 36
River Plate - 29

Equador
Del Valle - 33
Barcelona - 30
LDU - 30
Delfín - 27

Chile
U. Católica - 38
Colo Colo - 35

Uruguai
Nacional - 50
Peñarol - 36

Bolívia
Bolívar - 34
J. Wilstermann - 33

Peru
Binacional - 29
Alianza Lima - 28

Paraguai
Olimpia - 49
Guaraní - 49
Libertad - 40

Venezuela
Caracas - 37
Estudiantes de Mérida - 34

Colômbia
Independiente Medellín - 29
Junior Barranquilla - 29
América de Cali - 26

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.