PUBLICIDADE
Topo

CBF armazena 4 tipos de imagens do VAR; São Paulo pode acessar impedimento

São Paulo questiona gol anulado de Luciano contra o Atlético-MG - Transmissão TV Globo - 03/09/2020
São Paulo questiona gol anulado de Luciano contra o Atlético-MG Imagem: Transmissão TV Globo - 03/09/2020
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

04/09/2020 14h40

A CBF armazena todas as checagens e revisões feitas pelo VAR e que podem ser disponibilizadas aos clubes caso queiram detalhes da checagem e revisão de um lance de jogo específico. A comissão de arbitragem os separa em formato de clipes, com quatro tipos de imagens — o São Paulo, que reclama de lance de impedimento que anulou um gol na derrota de 3 a 0 para o Atlético-MG na quinta-feira (3), poderá ter acesso a essa armazenagem.

Esses clipes são, num primeiro momento, feitos para envio à Ifab (comissão que regula o futebol) e à Fifa, que montam relatórios sobre a evolução do árbitro de vídeo com base nas ações realizadas nos países que já utilizam a ferramenta. Mas como houve alta demanda de clubes reclamando sobre decisões do VAR já no Brasileiro e na Copa do Brasil em 2019, a CBF utiliza o material também para mostrar aos filiados como ocorreu a checagem em lances que geram dúvidas.

As quatro imagens gravadas nos clipes são:

1 - a câmera 1 da sala do VAR, a principal em que o jogo é transmitido na íntegra. Ela fica posicionada mais acima do campo da visão nas salas de VAR e há ao menos três telas, uma para o árbitro principal do VAR e duas para os auxiliares dele.

2 - a tela chamada "out put" também é gravada. Ela fica logo à frente do árbitro VAR, é dividida em quatro câmeras, à escolha do profissional, e sempre está 3 segundos atrás da câmera 1, com delay (atraso) no caso, para que o árbitro possa rever quase instantaneamente um lance duvidoso.

3 - a terceira câmera é que mostra a sala do VAR, que é chamada de VOR. Nela mostra a reação dos profissionais presentes (três árbitros, um observador, dois ou três técnicos) e como foi feito o contato com o árbitro de campo.

4 - Caso seja usado pelo juiz principal, os lances analisados no monitor que fica à beira do gramado também aparecem no clipe armazenado.

A CBF diz que em 2019 todos os pedidos de análise das imagens checadas e áudios das conversas entre árbitros de campo e os que ficam na sala do VAR foram disponibilizadas aos clubes que pediram e isso vai se repetir em 2020.

A disponibilização pública, porém, é mais complicada. Em palestras sobre a explicação do VAR algumas checagens e revisões foram mostradas, em lances diversos — impedimento, bola na mão e expulsões. Mas a Fifa ainda orienta a se evitar a exposição desses áudios, principalmente durante a partida em transmissões e para o torcedor no estádio.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.