PUBLICIDADE
Topo

Protocolo da Conmebol dos jogos de seleções é aprovado para Eliminatórias

Tite ainda não comandou a seleção brasileira em 2020 - GettyImages
Tite ainda não comandou a seleção brasileira em 2020 Imagem: GettyImages
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

02/09/2020 16h10

Os governos dos dez países que compõe a Conmebol aprovaram também os protocolos para os jogos das seleções nas Eliminatórias. Fifa e confederação sul-americana esperam que o torneio classificatório para a Copa-2022, no Qatar, comece em outubro, mas há cautela porque o processo para essas partidas ocorrerem é mais complexo do que para confrontos de clubes, que terão reinício com a Libertadores no dia 15 de setembro.

O aval para jogos entre seleções foi feito no mesmo pacote que deu o OK para os retornos da Libertadores e da Sul-Americana mesmo em países em que o futebol ainda não voltou, como a Argentina — os torneios foram paralisados em março passado por causa da pandemia. As Eliminatórias, com primeira rodada prevista para março de 2020, nem começou.

O protocolo para partidas de seleções é praticamente o mesmo que o dos clubes. As delegações só poderão permanecer 72 horas nos países visitados, os voos serão fretados e com preferência por embarque e desembarque em bases aéreas, os membros das delegações não poderão sair dos hotéis a não ser para jogar ou treinar e todos deverão estar com testes PCR, aquele que detecta o vírus que causa a Covid-19, negativados.

Há, porém, pequenas diferenças. Por exemplo: nos torneios de clubes a Conmebol é a responsável pela produção de TV para as partidas, por isso há todo um protocolo de segurança para os profissionais que trabalharão, inclusive com preenchimento de questionário que pergunta se a pessoa tem doença preexistente que pode ser agravada em caso de contaminação.

Para os jogos das seleções essa produção fica a cargo de cada federação, que vende os direitos de transmissão separadamente da Conmebol. Portanto a responsabilidade de criar um protocolo de segurança a esses profissionais, com base no que a Conmebol exige, é das federações.

Há também outro fator preocupante, que faz com que alguns cartolas ainda duvidem que as Eliminatórias comecem em outubro: boa parte dos jogadores convocados joga em países fora da América do Sul, na Europa principalmente, e não se sabe muito bem como serão esses deslocamentos. Existe na Fifa um movimento, embrionário, de clubes que querem impedir em 2020 que atletas viajem nas datas-Fifa a outros continentes para atuar.

A seleção brasileira, por causa da pandemia, não jogou em 2020. Pelo novo calendário apresentado pela Fifa faria ainda quatro jogos este ano, dois em outubro e outros dois em novembro. Para compensar as datas perdidas em 2020, a Fifa criou uma nova janela para partidas de seleções em janeiro de 2022. A Conmebol, por enquanto, não pensa em alterar a fórmula de sua Eliminatória, os dez times jogando todos contra todos — os quatro primeiros garantem vaga direta no Qatar-2022 e o quinto colocado joga uma repescagem contra seleção de outro continente.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.