PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Marcel Rizzo


Brasileiro: situação diferente do coronavírus nos estados preocupa a CBF

Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

09/04/2020 11h20

A situação distinta de cada estado brasileiro com a relação a casos confirmados e mortes pela Covid-19 deixa ainda mais nebulosa qualquer previsão de data para início do Campeonato Brasileiro em 2020, previsto inicialmente para maio. Hoje a CBF não trabalha com datas justamente porque não sabe quando os aeroportos estarão liberados para o deslocamento necessário para que a competição possa ocorrer normalmente.

Clubes de nove estados estão habilitados a participar da competição e algumas dessa regiões, como São Paulo, Rio de Janeiro e Ceará, estão hoje em situação crítica, segundo o Ministério da Saúde. Não se sabe quando o isolamento social indicado para conter a expansão da contaminação será relaxado, mas sabe-se que cada estado terá um calendário diferente.

A diretoria da CBF apresentou essas condições a presidentes de clubes que participaram na terça (7) de uma reunião, por meio de videoconferência, para discutir entre outros temas o calendário do futebol em meio à pandemia do novo coronavírus. Os clubes, de olho em antecipar receita de direitos de transmissão, pediram a CBF para manter o formato do torneio, em 38 rodadas.

A CBF avisou que hoje é impossível prever o cenário, principalmente porque os estados terão o abrandamento do isolamento social realizado em períodos diferentes e será preciso uniformidade para se jogar a competição.

É situação parecida com a que vive a Conmebol com relação a seus campeonatos de clubes, a Libertadores e a Sul-Americana, que reúnem times de dez diferentes países da América do Sul, cada um com grau diferente de contágio e de ação para combater o novo coronavírus.

Como o blog mostrou no sábado, a direção da confederação ouviu de representantes de governos do continente que o acesso entre as fronteiras dos países não deve ser totalmente normalizado em 2020, o que inviabilizaria a conclusão da Libertadores e da Sul-Americana. Hoje há um medo crescente na Conmebol de que terá que cancelar seus torneios este ano.

O cenário do Brasileiro para a CBF ainda não chega a esse ponto, mas preocupa. Segundo dados do Ministério da Saúde, alguns estados vivem situações mais críticas devido ao alto número de casos confirmados e a situação dos sistemas de saúdes, que podem não ter UTIs suficientes para receber os doentes nas próximas semanas.

Por exemplo: hoje é mais provável que Paraná ou Goiás apresentem um relaxamento do isolamento social antes de Ceará, São Paulo, Rio e Pernambuco. Como, então, o Goiás e o Athletico ou o Coritiba conseguiriam viajar a Fortaleza ou Recife? Não há uma previsão de quando isso poderá ocorrer de forma segura, portanto a CBF não tem a mínima ideia de quando o Brasileiro, ou a Copa do Brasil, poderão ser disputadas.

Por isso que, na visão da cartolagem, os torneios mais fáceis a serem retomados são os Estaduais, como mostrou o blog na terça (7). Como os deslocamentos são curtos, se poderia criar sedes fixas e isolamento dos atletas para a conclusão dessas competições nos próximos meses

Marcel Rizzo