Juca Kfouri

Juca Kfouri

Siga nas redes
Só para assinantesAssine UOL
Opinião

Dá para ganhar da Argentina?

Alisson, Emerson Royal, Marquinhos, Gabriel Magalhães e Carlos Augusto; André, Bruno Guimarães; Raphinha, Rodrygo, Gabriel Jesus e Gabriel Martinelli, eis a escalação da Seleção Brasileira para enfrentar os campeões mundiais da Argentina, nesta terça-feira, no Maracanã.

Trata-se de bom time, ninguém há de negar.

Trata-se de excelente time?

Não, não é.

Emerson Royal é lateral-direito de muita deficiência defensiva e Carlos Augusto está longe de ser lateral-esquerdo de primeiro nível.

Além do mais, Raphinha prima pela irregularidade e Gabriel Jesus está distante de jogar na Seleção como fez quando vestiu a camisa pela primeira vez — e como sempre jogou nos clubes que defendeu.

Os demais têm excelência, embora nenhum deles seja da primeira prateleira do futebol mundial, talvez com exceção de Alisson e Rodrygo.

Verdade que em circunstâncias normais teríamos Ederson, Casemiro e Vinícius Júnior no time, o que se não faria diferença no gol, mudaria substancialmente a produção do meio de campo e do ataque.

Danilo, convenhamos, que também é desfalque, é melhor que Royal, mas nem por isso se compara a outros que já ocuparam o lugar na Seleção.

Continua após a publicidade

E Neymar. Mas esse, em circunstâncias normais, para manter o raciocínio, vive mais fora do que dentro e quando está dentro parece estar fora, ou joga mais para ele que para o time.

Dá para vencer Lionel Messi&cia?

Sempre dá, porque estamos tratando de futebol.

Inegável, porém, que a Argentina é muito, mas muito favorita.

Lionel Scaloni tem um time na mão e de moral alto, apesar da derrota para o Uruguai.

Fernando Diniz ainda tateia com o dele que vem de três maus resultados.

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Deixe seu comentário

Só para assinantes