Futebol pelo mundo

Futebol pelo mundo

Só para assinantesAssine UOL
ReportagemEsporte

'Endrick espanhol', Yamal brilha como titular e ainda faz tarefas da escola

A estreia da Espanha na Eurocopa foi marcada por dois recordes, ambos protagonizados por Lamine Yamal Nasraoui Ebana. Aos 16 anos e 11 meses e dois dias, o atacante tornou-se o mais jovem atleta a entrar em campo pelo torneio.

Ao dar para Carvajal o passe para o terceiro gol da vitória por 3 a 0 sobre a Croácia, tornou-se, também, o mais jovem a conseguir uma assistência na maior competição europeia de seleções.

Yamal é uma máquina de recordes: pelo Barcelona, ele já se tornou o mais jovem a participar de uma partida e a marcar um gol pelo clube; na seleção espanhola, já havia conseguido o mesmo.

Com oito partidas com a Espanha no currículo, ele já se tornou titular indiscutível. Lamine Yamal chegou à Eurocopa carregando na mala um potencial enorme para bater recordes, um talento que começa a colocá-lo como craque mundial e algumas tarefas da escola.

Sim, o garoto levou deveres de casa para a Eurocopa.

Aos 16 anos, o atacante está na reta final do 4º ano de ESO, o equivalente espanhol ao Segundo Grau do ensino brasileiro. "Trouxe algumas coisas para fazer e mostrar aos professores, preciso passar de ano", disse em entrevistas antes da estreia. A ideia é terminar as tarefas e enviar online para os professores, já que o ano letivo espanhol termina em julho.

O Endrick deles

A carreira de Lamine Yamal tem sido observada de perto desde a base do Barcelona. Aos 15 anos, ele estreou na equipe principal e, em sua segunda temporada, virou um dos protagonistas do time. No ano seguinte, foi convocado pela Espanha e ganhou espaço entre os titulares.

Olhando para o Brasil, é difícil não comparar com Endrick, que aos 17 anos é a maior aposta de craque do país. Protagonista no Palmeiras na última temporada e já a caminho do Real Madrid, o atacante ainda espera uma oportunidade como titular na seleção — algo que Yamal já conseguiu.

Continua após a publicidade

Os dois já se encontraram uma vez: no amistoso entre Espanha e Brasil, em março, no Santiago Bernabéu. Ambos se destacaram, e o placar acabou em empate por 3 a 3. Nos próximos anos, o duelo deve se repetir no Clássico espanhol.

Dorival Júnior, por enquanto, pede cautela com Endrick. O técnico afirma que não é hora de queimar etapas.

O ponta-direita Raphinha, que convive com Yamal no Barcelona e com Endrick na seleção, tem opinião diferente. "Penso que quando os jogadores têm qualidade para jogar, estão se sobressaindo na base, não tem porque adiar essa estreia. Se tem qualidade e consciência do que tem que fazer, tem que pôr para jogar. Não tem porque atrasar aquilo", afirmou em entrevista coletiva.

Ainda não se sabe quando Endrick finalmente será titular da seleção brasileira. Mas na Espanha, Yamal já se consolidou. A tendência é que seja titular em todos os jogos da campanha — afinal, entre um dever de Física e outro de Biologia, ele ainda precisa jogar futebol.

Reportagem

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Deixe seu comentário

Só para assinantes