PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Como Mattos ajudou a blindar E. Baptista em meio a 1º 'teste de fogo'

Apoiado pela diretoria, Eduardo Baptista manteve as convicções e colhe os frutos - CESAR GRECO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO
Apoiado pela diretoria, Eduardo Baptista manteve as convicções e colhe os frutos Imagem: CESAR GRECO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

21/03/2017 04h00

Eduardo Baptista passou pelo primeiro teste ‘de fogo’ do Palmeiras com louvor. Em quatro partidas, três vitórias (São Paulo, Jorge Wilstermann-BOL e Santos) e um empate (Atlético Tucumán-ARG) serviram para afastar a pressão externa sobre o treinador. Internamente, no entanto, o cenário era completamente diferente, inclusive nos momentos mais difíceis.

Dois fatores tranquilizaram o treinador: a autoconfiança e a manutenção da rotina do dia a dia. Mesmo no momento de maior pressão, após a derrota para o arquirrival Corinthians (1 a 0), quando o Palmeiras atuou mais da metade da partida com um homem a mais, o suporte da diretoria de futebol auxiliou o trabalho do dia a dia.

Eduardo Baptista e a diretoria, especialmente Alexandre Mattos, possuem contato praticamente diária, segundo apurou o UOL Esporte. O treinador troca ideias com os dirigentes, que, por outro lado, dão a autonomia para o treinador decidir qual caminho seguir.

A pressão externa nunca entrou na Academia de Futebol graças a esta rotina, responsável por blindar o treinador, agora ainda mais respaldado pela evolução e os resultados conquistados nas últimas duas semanas.

“Nunca fiquei assustado, preocupado. Tenho um cara aqui, o Alexandre Mattos, que me deixa muito tranquilo. A pressão de fora não entra aqui, eu me preparei para estar aqui, sou muito equilibrado e estou focado no campo”, afirmou o comandante palmeirense.

“O Palmeiras tem tanto trabalho, que se você ficar preocupado com pressão, com tudo que ronda, você perde o foco. Não tenho essa preocupação e o foco é no trabalho apenas”, acrescentou Eduardo Baptista.

Fora o apoio da diretoria de futebol, os jogadores também aprovam o trabalho do dia a dia de Eduardo Baptista, tão ressaltado por quem está no clube. Fernando Prass, um dos líderes do atual elenco e o principal ídolo dos torcedores, é elogioso para com o treinador.

“A gente analisa de uma forma diferente do torcedor. O torcedor não está aqui para ver o treino, não vive o nosso ambiente. Torcedor age com a paixão, com a emoção; de repente, chega em casa, senta no sofá e muda de opinião na hora do resultado, da arquibancada”, amenizou Prass.

“Não entramos no jogo para provar que o Eduardo é um bom treinador, isso será demonstrado pelo nosso trabalho”, complementou o goleiro palmeirense.

A confiança do elenco reflete muito o perfil do treinador. Eduardo Baptista é um estudioso, um ‘nerd’ do futebol. Antes do trabalho em campo, o treinador analisa vídeos – do próprio time e do adversário – e repassa as informações de maneiras minuciosas para o elenco.

Até detalhes não passam pelo atual treinador, como, por exemplo, para qual lado um jogador adversário prioriza o drible. Esses fatores agradam ao elenco e permitem a Eduardo Baptista se sentir tranquilo em relação ao próprio trabalho, mesmo diante da desconfiança de parte dos torcedores.

Futebol