PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Autuori questiona se interferência partiu de federação: "Não teria cacife"

Jogadores de Atlético-PR e Coritiba deixam o gramado em meio a impasse sobre transmissão - Cleber Yamaguchi/AGIF
Jogadores de Atlético-PR e Coritiba deixam o gramado em meio a impasse sobre transmissão Imagem: Cleber Yamaguchi/AGIF

Do UOL, em São Paulo

19/02/2017 19h36

O técnico do Atlético-PR, Paulo Autuori, disse não acreditar que a Federação Paranaense de Futebol (FPF) tenha agido sozinha para evitar a realização do clássico contra o Coritiba, neste domingo (19), pela quinta rodada do Campeonato Paranaense.

Alegando problemas de credenciamento, a entidade se opôs à transmissão do jogo de forma independente e exclusivamente online pelos canais dos clubes no YouTube. Os times, que não chegaram a um acordo com as Organizações Globo para a transmissão de seus jogos em TV aberta no Paranaense de 2017, se negaram a jogar sem a transmissão e a partida não aconteceu.

"Quem é o responsável por uma tomada de decisão dessa, de evitar um jogo sem um motivo? Certamente sozinhos não estão. Há instituições fortes por trás disso. A federação não teria cacife para tomar uma decisão dessa", disse Autuori.

"O credenciamento poderia ter sido feito. Não é um motivo plausível. Já vi credenciamento ser feito pouco antes do início da partida. Foi esse mesmo o motivo pela não realização da partida? Não creio", afirmou.

O treinador ainda criticou a oferta feita pelas Organizações Globo pelos direitos de transmissão dos jogos da equipe no Paranaense.

"Não se pode perder uma oportunidade como essa de quebrar paradigmas. Isso acontece pela ridícula oferta pelos direitos televisivos. É impensável a discrepância que existe em relação a determinadas situações tais como a oferta feita pelos direitos. Hoje pudemos ver na imprensa valores que beiram ao ridículo em relação à diferença de clubes do Paraná para outros Estados", afirmou.

Futebol