PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Contra jejum de 40 anos atrás, Cruzeiro evita oba-oba na volta da semifinal

Com um pé na final, Cruzeiro pode até perder por um gol de diferença que estará na final - UARLEN VALéRIO/O TEMPO/ESTADÃO CONTEÚDO
Com um pé na final, Cruzeiro pode até perder por um gol de diferença que estará na final Imagem: UARLEN VALéRIO/O TEMPO/ESTADÃO CONTEÚDO

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

24/03/2018 16h00

O Cruzeiro está com um pé na final do Campeonato Mineiro. Às 11h deste domingo, o time celeste pode até perder por um gol de diferença para o Tupi que ainda sim estará garantido na decisão do estadual. Apesar da vantagem, o discurso na Toca é de pés no chão. Com muito respeito à equipe de Juiz de Fora, a Raposa vai com cautela para o compromisso a fim de evitar que um jejum de mais de quatro décadas volte a bater na porta: ficar quatro anos sem um título do estadual.

O último título mineiro do Cruzeiro foi em 2014, com Marcelo Oliveira. De lá pra cá, a equipe parou nas semis para o rival Atlético no ano seguinte e para o América em 2016. No ano passado, chegou à final, mas caiu para o rival alvinegro mais uma vez. Se ficar pelo caminho desta vez, o time voltará a conviver com o jejum que não acontece desde a década de 70. De 1978 a 1983, o clube não conseguiu ser soberano em Minas. Por isso, o discurso é bem claro.

"O foco nosso é em cada jogo, em cada passo, não podemos pensar na final antes de chegar na semifinal. Temos muito respeito pelo Tupi, a equipe deles é muito boa, e precisamos entrar concentrados. Clima de já ganhou a gente deixa para o externo, porque aqui vamos ter que correr para garantir a classificação. O Tupi chegou em quarto na primeira fase do Mineiro, classificou para semifinal com mérito, é um time que vem jogando muito bem e sabemos da dificuldade", comentou o goleiro Rafael, responsável por proteger a meta celeste neste domingo, já que o titular Fábio está suspenso.

Rafael é uma das poucas dúvidas que foram solucionadas no time que começa jogando. No meio-campo, Mano não poderá contar com Ariel Cabral, também suspenso. Lucas Silva e Bruno Silva brigam pela vaga, mas o escolhido não foi informado pelo técnico. No ataque, situação parecida com Fred e Raniel. O veterano já está de volta e à disposição, mas ainda é incerta sua presença entre os onze jogadores iniciais.

"A gente procura ser criterioso para que todos os jogadores entendam a linha de pensamento. Vamos escolher sempre aquilo que for melhor para o Cruzeiro, levando em consideração o contexto todo, os jogos que teremos pela frente, o retorno de alguns jogadores. Acho que o mais importante é ter um grupo com essa qualidade para escolher e tomar as decisões importantes e a equipe render bem", despistou Mano.

CRUZEIRO x TUPI

Motivo: jogo da volta, semifinal do Mineiro
Data/Hora: 25/03/2018, às 11h
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (FIFA/RJ)
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Corrêa (FIFA/RJ) e Gabriel Conti Viana (CBF/RJ)

CRUZEIRO: Rafael; Lucas Romero, Dedé, Murilo e Egídio; Lucas Silva, Henrique, Robinho e Thiago Neves; Rafinha e Raniel (Fred). Técnico: Mano Menezes.

TUPI: Vilar; Rodrigo Dias, Sidimar, Wellington e Patrick Brey; Leo Costa, Leo Salino, João Vitor e Vitinho (Patrick); Renato Kayser e Reis. Técnico: Ricardo Leão.

Futebol