PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Jogadores do Atlético-MG valorizam vantagem mantida na final do Mineiro

Titular neste domingo, atacante valorizou empate sem gols no primeiro jogo da final - Bruno Cantini/Atlético-MG
Titular neste domingo, atacante valorizou empate sem gols no primeiro jogo da final Imagem: Bruno Cantini/Atlético-MG

Enrico Bruno, Thiago Fernandes e Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

30/04/2017 18h24

Marcado por ser um time extremamente ofensivo, o Atlético-MG adotou uma postura diferente na primeira partida da final do Campeonato Mineiro. O que se viu em campo, neste domingo, no empate por 0 a 0 no Mineirão, foi a equipe atleticana bem mais fechada, posicionada defensivamente e entregando a bola para o Cruzeiro jogar.

Por optar por um estilo de jogo mais fechado, o Atlético pouco atacou o Cruzeiro. No primeiro tempo não conseguiu chutar nenhuma vez à meta defendida pelo rival. Na etapa final, algumas boas chances, com Elias, Gabriel e Fred. Mesmo sem a vitória e o tabu sem vitórias no clássico aumentado para oito partidas, os jogadores atleticanos gostaram do resultado.

Com o 0 a 0 no Mineirão, um novo empate, no Independência, dá ao Atlético o título do Campeonato Mineiro. “Foi mais na superação, pois o nosso time não está acostumado a marcar, tanto que deixamos a bola para o lado de lá. Apesar da boa postura na defesa, temos de jogar mais, criar mais, pela qualidade do nosso time”, disse o meia Maicosuel.

Um dos destaques do Atlético no clássico foi o zagueiro Gabriel. Bastante criticado após algumas falhas em jogos da Libertadores e do Mineiro, o jovem defensor ganhou praticamente todos os lances que disputou contra os Cruzeirenses. Motivo para que o camisa 30 deixasse o campo bastante satisfeito.

“É difícil até falar uma de depois de um jogo como hoje. Deus é bom o tempo todo. Foi muita luta, a gente passa por muita coisa, é muito suor e muita dedicação no trabalho todos os dias. Esse grupo merece o título, pois é um grupo fantástico, muito batalhador”, disse o zagueiro, que comentou também a estratégia de jogo adotada pelo Atlético no clássico.

“ O Cruzeiro dominou a bola, é verdade, mas as chances mais claras de gols foram nossas. Foi uma estratégia de jogo nossa, ficar mais na defesa. Agora temos o jogo da volta, no Independência, mas vamos descansar agora. E antes de pensar na final, temos um importante jogo da Libertadores pela frente”.

A semana do Atlético começa nesta segunda-feira, com treino regenerativo na Cidade do Galo. Na terça-feira a delegação alvinegra segue para a Bolívia, para enfrentar o Sport Boys, pela quinta rodada do grupo 6 da Copa Libertadores. Portanto, a segunda partida final contra o Cruzeiro só vai ser assunto no Atlético a partir de quinta-feira.

Futebol