PUBLICIDADE
Topo

Futebol

'Gol de costas' que marcou Fábio e torcida do Atlético-MG completa 10 anos

Até hoje no Cruzeiro, goleiro Fábio amargou infelicidade ao sofrer "gol de costas" de Vanderlei - Washington Alves/Vipcomm
Até hoje no Cruzeiro, goleiro Fábio amargou infelicidade ao sofrer 'gol de costas' de Vanderlei Imagem: Washington Alves/Vipcomm

Do UOL, em Belo Horizonte

29/04/2017 12h42

Neste sábado, há pouco mais de 24 horas para o primeiro clássico entre Cruzeiro e Atlético-MG, a torcida alvinegra de Belo Horizonte relembra os 10 anos de um lance histórico. No dia 29 de abril de 2007, o cenário era mais ou menos parecido com o atual. Os maiores rivais mineiros se enfrentaram pela primeira partida da  decisão. Apesar do placar elástico por 4 a 0, o quarto gol do Galo foi o que realmente chamou atenção naquela tarde/noite no Mineirão: o do 'gol do Vanderlei', já aos 46 minutos do segundo tempo, com o goleiro Fábio de costas, virou até música e é lembrado até hoje.

A vitória atleticana naquela final começou a ser construída com Éder Luís e Danilinho. Porém, já no final da partida o Atlético teve um pênalti a seu favor e aumentou a vantagem com Marcinho. O goleiro Fábio, na época com 26 anos, ainda reclamava da marcação da arbitragem quando o Cruzeiro se atrapalhou na saída de bola e Vanderlei, mais atento que os rivais, recuperou a pelota e tocou para o gol vazio. Fábio, que estava de costas, sequer viu a finalização do atacante.

O gol antológico de Vanderlei foi marcado no apagar das luzes quando a torcida atleticana ainda comemorava o terceiro gol. O lance foi tão rápido que não foram só os jogadores que acabaram surpreendidos. Na época, narradores de rádio e televisão, assim como os próprios torcedores no Mineirão, demoraram a perceber o quarto gol atleticano que praticamente decretou o título mineiro (no jogo da volta, o Cruzeiro venceria por 2 a 0, mas ficaria com o vice-campeonato). Na ocasião, a taça foi bastante comemorada pelo clube que já amargava um jejum de seis anos sem vencer o estadual e simbolizou a recuperação da equipe após disputar a segunda divisão pela primeira vez na temporada anterior.

Após a goleada na primeira final, o técnico Paulo Autuori acabou pedindo demissão do Cruzeiro, alegando 'vergonha na cara'. Porém, os desdobramentos da goleada estavam apenas começando. Em 2014, a lembrança ainda estava bastante fresca na memória dos atleticanos. O hit "Brasil, decime qué se siente", cantada pelos argentinos durante a Copa do Mundo, acabou ganhando uma versão alvinegra com uma estrofe dedicada ao episódio envolvendo o gol de Vanderlei.

Hoje aos 38 anos, Vanderlei já pendurou as chuteiras do futebol e é dono de uma academia na cidade de Tubarão, em Santa Catarina. Seu vínculo com o Atlético durou até 2008 e não teve números tão animadores, com 15 gols em 60 jogos. Porém, os poucos segundos que antecederam aquele momento histórico no Mineirão fizeram o atacante cair de vez nas graças da torcida e ficar eternizado na história do clássico.

Futebol