PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Atlético-MG aciona FMF e tenta reverter proibições do Cruzeiro no clássico

Cruzeiro vetou entrada de bandeiras e instrumentos musicais na torcida atleticana - EFE/Paulo Fonseca
Cruzeiro vetou entrada de bandeiras e instrumentos musicais na torcida atleticana Imagem: EFE/Paulo Fonseca

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

30/03/2017 12h02

O Atlético-MG reagiu rápido ao veto imposto pelo Cruzeiro para o clássico deste sábado. Na reunião da última terça-feira, o time celeste, mandante da partida, decidiu que a torcida alvinegra não poderá levar faixas e instrumentos musicais para o Mineirão. Além disso, o mascote "Galo Doido" também está proibido de entrar em campo. Nesta quinta-feira, a diretoria atleticana informou que o clube já entrou em contato com a Federação Mineira de Futebol para tentar cancelar as proibições feitas.

"O Atlético acionou, na manhã desta quinta-feira, a FMF, para que a mesma faça cumprir o regulamento e comunique a PM, sobre a entrada de bandeiras e instrumentos no Mineirão, na partida diante do Cruzeiro. Vale lembrar que, na reunião, a polícia não se opôs à questão", informou o Atlético, por meio de sua assessoria de imprensa.

Ainda nesta manhã, o vice-presidente do Cruzeiro, Bruno Vicintin, esteve na Toca da Raposa e comentou sobre o assunto. Para o diretor, a postura do clube celeste nada mais é que um reflexo das atitudes atleticanas quando o clássico é realizado no Horto.

"Até na diplomacia existe a reciprocidade. Essas picuinhas não ganham jogo. Porém o Cruzeiro tem direito de exercer a reciprocidade. Nossa torcida merece respeito, sofre muito no Independência. Estas coisas no clássico, proibição de mascote, bandeira, instrumento, foram criadas pelo nosso rival. Estamos fazendo uma reciprocidade", disse Vicintin.

Futebol