PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Neymar não devia reclamar. Rodízio faz Barça ser único time inteiro na Liga

Do UOL, em São Paulo

23/04/2015 06h00

Não faz muito tempo, Neymar virou manchete por reclamar ao ser substituído. Antes dele, Messi, Suárez e Daniel Alves tinham feito muxoxo por saírem de campo ou ficarem no banco. Todos deviam agradecer a Luis Enrique. Graças ao rodízio implantado pelo treinador, o Barcelona é o único dos quatro semifinalistas que não sofre com desfalques.

O Bayern disputou as quartas contra o Porto sem Robben, Ribery, Alaba e Scwheinsteiger. O Real teve de pôr Chicharito como titular diante do Atlético porque não tinha Bale, Benzema e Modric. Já a Juventus suou para bater o Monaco sem Pogba. Todos foram desfalques de suas equipes por lesão, enquanto o Barcelona segue alinhando toda sua força máxima nos jogos decisivos.

A explicação passa pelo desgaste de cada equipe. Dos quatro semifinalistas, ninguém jogou mais que o Barcelona. Finalista da Copa do Rei, o time catalão soma 50 jogos oficiais na temporada, contra 48 do Real Madrid, 46 da Juventus e 44 do Bayern.

A questão é que Luis Enrique “dosa” suas estrelas. De todo o elenco catalão, só Messi (47), Rakitic (44) e Neymar (41) fizeram mais de 40 jogos até agora, sendo que os dois últimos são os atletas que mais vezes foram substituídos pelo treinador.

No Real, por exemplo, Casillas (41), Bale (43), Benzema (44), Marcelo (46), Isco (46), Cristiano Ronaldo (46) e Kroos (47) já ultrapassaram a marca. O Bayern sofre do mesmo mal. Mesmo com seis compromissos a menos que o Barça, Guardiola abusou de Gotze (40), Neuer (42), Muller (41) e Lewandowski (42). A Juventus, por sua vez, extenuou Chiellini (40), Lichtsteiner (40), Pereyra (41) e Tevez (41).

E a diferença não está só no quanto cada time abusa das estrelas. Em Real Madrid, Bayern e Juventus o desgaste só não é maior porque vários jogadores foram para no departamento médico, enquanto o Barcelona viu só Busquets parar por lesão, e ainda assim por menos de um mês.

O Real Madrid corre o risco de perder Modric até o fim da temporada e já jogou sem James e Sergio Ramos por um bom tempo, além de hoje estar sem Bale e Benzema. O Bayern, além dos desfalques atuais, já perdeu Lahm, Schweinsteiger e Javi Martinez, sendo que esse último ainda nem retornou. A Juventus, por último, já ficou sem Pirlo e Marchisio, base do meio-campo dos italianos. 

Futebol