PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Boca agradece solidariedade do River em pedido de adiamento da final

Reprodução
Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

24/11/2018 21h39

O pedido do Boca Juniors para adiar a final da Copa Libertadores contou com o apoio do rival River Plate. Segundo o presidente do Boca Juniors, Daniel Angelici, a Conmebol era contra o adiamento.

“Devo destacar que D' Onofrio [presidente do River] se solidarizou. Nossos médicos disseram que os jogadores não estavam em condições de jogar, apesar do que disse a Conmebol", afirmou.

Leia mais:

Vídeo mostra ataque dentro de ônibus do Boca: "chamem o médico"
"Estão nos obrigando a jogar a partida", diz Tevez

Capitão do Boca Juniors vai para o hospital após confusão com ônibus

A partida foi adiada duas vezes neste sábado após o ônibus que levava a delegação do Boca Juniors ao estádio ser atingido por copos, garrafas e pedras. Alguns jugadores ficaram feridos e o capitão do clube, Pablo Pérez, teve que ser levado ao hospital.

Depois de quase três horas do horário original da decisão, o presidente da Conmebol, Alejandro Dominguez, disse que o jogo seria adiado para o domingo (25), às 18h, de Brasília.

"Os dois clubes não queriam jogar, então houve um pacto de cavalheiros", explicou em entrevista após a reunião que selou a decisão.

O presidente do River Plate, Rodolfo D'Onofrio, afirmou que foi procurado por Angelici e concordou com o adiamento da final.

“A opinião do River é que não se poderia jogar contra uma equipe que não está em condições, nem que seja apenas psicologicamente. Por que não esperar pelo menos 24 horas? Ganhar ou perder, mas que o rival tenha condições”, disse o presidente do River.

Futebol