PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Macri pede "harmonia e paz" na Argentina para final entre Boca e River

Natacha Pisarenko/AP Photo
Imagem: Natacha Pisarenko/AP Photo

Do UOL, em São Paulo

01/11/2018 17h29

Presidente da Argentina e ex-mandatário do Boca Juniors, do qual é torcedor fanático, Mauricio Macri espera que a final da Copa Libertadores entre o River Plate e seu time do coração não se torne palco de problemas e confusões.

"Apesar da paixão, isto não deixa de ser um esporte. É uma grande oportunidade que temos de mostrar nosso pique ao mundo, mas deixando apenas no plano esportivo, em absoluta harmonia e paz", afirmou o político.

Ele usou como exemplo a postura do povo durante os Jogos Olímpicos da Juventude, sediados por Buenos Aires em 2018. "Será muito importante que todos contribuam, os protagonistas, dirigentes, técnicos, jogadores, torcidas. Uma festa", completou Macri.

"Vamos viver uma festa única do esporte e do futebol. Temos de desfrutá-la desta forma. Lamentavelmente, um dos times vai perder. É assim. Um vai ganhar e outro vai perder. Mas nem por isso vamos deixar de curtir com respeito, harmonia e paz", concluiu.

O presidente da Argentina destacou um ponto que pode influenciar o comportamento das duas torcidas: a possibilidade de que esta final entre Boca Juniors e River Plate pode não se repetir tão cedo. As duas partidas ocorrerão em sábados.

O primeiro jogo, em La Bombonera, será dia 10; a volta, a princípio prevista para ocorrer no Monumental de Nuñez, deve acontecer em 24 de novembro - a organização ainda vai analisar o pedido do Grêmio para eliminar os millonarios pela indisciplina do técnico Marcelo Gallardo.

Futebol