PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Única anulação de suspensão na Libertadores ocorreu em jogo do Cruzeiro

Duelo de 2014 foi o único que a Conmebol acatou recurso e anulou cartão vermelho - AFP PHOTO / Juan Mabromata
Duelo de 2014 foi o único que a Conmebol acatou recurso e anulou cartão vermelho Imagem: AFP PHOTO / Juan Mabromata

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

21/09/2018 04h00

Quando o vice-presidente de futebol do Cruzeiro, Itair Machado, desabafou contra a expulsão de Dedé, na derrota para o Boca Juniors, ele citou que a Conmebol já havia anulado uma suspensão por causa de um erro de arbitragem. O fato citado pelo dirigente aconteceu na edição de 2014 e também envolveu o Cruzeiro. Na ocasião, o clube enfrentou o San Lorenzo, que teve um jogador expulso, mas conseguiu reverter o quadro e anular a punição do seu atleta.

Cruzeiro e San Lorenzo se enfrentaram pelas quartas de final da Libertadores de 2014. No jogo da volta, o árbitro Martin Vásquez expulsou o meia Romagnoli após uma suposta agressão no boliviano Marcelo Moreno. O cartão vermelho foi aos 31 minutos do segundo tempo, mas o San Lorenzo conseguiu segurar o empate por 1 a 1 no Mineirão e se classificar.

Como as imagens de TV não mostraram nenhuma agressão do camisa 10 argentino, o San Lorenzo recorreu à Conmebol e teve seu pedido acatado pela entidade. Na semifinal, Romagnoli atuou normalmente diante do Bolívar.

Na última quinta-feira, o presidente Wagner Pires de Sá e o supervisor administrativo, Benecy Queiroz, foram à sede da Conmebol, no Paraguai, para formalizar e protocolar o pedido de anulação. A reunião aconteceu com Alejandro Dominguez, presidente da entidade. Agora, o Cruzeiro aguarda para que o recurso seja julgado e espera que isso aconteça de forma rápida, já que o compromisso da volta com o Boca Juniors está marcado para o dia 4 de outubro.

Apesar de o fato não ser inédito, não há nenhuma garantia que o Cruzeiro consiga anular o cartão vermelho de Dedé. Nos últimos anos, a Conmebol já vetou dois pedidos de clubes brasileiros. Em 2016 e 2017, São Paulo e Grêmio buscaram anular sem sucesso as suspensões de Calleri e Kannemann, respectivamente, durante a disputa do torneio.

Futebol