PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Juiz que expulsou Dedé com VAR tem sobrenome traumático para brasileiros

Demian Alday/Getty Images
Imagem: Demian Alday/Getty Images

Gustavo Setti

Do UOL, em São Paulo

20/09/2018 04h00

Dedé foi expulso no segundo tempo da derrota do Cruzeiro contra o Boca Juniors, pelo jogo de ida das quartas de final da Libertadores, em um lance que revoltou os jogadores do time celeste em La Bombonera e os torcedores brasileiros nas redes sociais. O defensor se chocou involuntariamente com o goleiro Andrada, mas o juiz Éber Aquino usou o árbitro de vídeo (VAR) e deu o cartão vermelho. Logo, o sobrenome Aquino trouxe recordações traumáticas para muitos.

Assista aos gols da partida entre Cruzeiro e Boca Juniors.

Tudo começou em 2001, quando Ubaldo Aquino virou inimigo do Palmeiras. A equipe alviverde enfrentava o Boca Juniors, também em La Bombonera, pela semifinal da Libertadores daquele ano. O juiz revoltou os palmeirenses ao não marcar dois pênaltis para a equipe brasileira e dar um irregular para os argentinos. O jogo terminou 2 a 2, e o Boca garantiu a vaga nos pênaltis na partida de volta.

Quem estava em campo naquela ocasião era o meia Alex, que relembrou do episódio ao se solidarizar com a expulsão de Dedé.

A família Aquino voltou a ser protagonista de polêmica em 2013. Pela volta das oitavas de final da Libertadores, o Corinthians recebeu o Boca no Pacaembu e abriu o placar com Romarinho, mas Rodney Aquino, auxiliar naquela partida e filho de Ubaldo, anulou a jogada de maneira equivocada. Pouco depois, Riquelme fez o gol que garantiu os argentinos nas quartas de final.

Já na última quarta-feira (19), a bola foi alçada na área aos 24 minutos do segundo tempo, Andrade saiu para tirar de soco, e Dedé tentou fazer o gol de cabeça, mas acertou o goleiro involuntariamente. O camisa 1 caiu desacordado no gramado, mas acordou logo depois com um corte na boca. No mesmo momento, o jogador do Cruzeiro ficou preocupado com o adversário e pediu atendimento para ele.

Quatro minutos após o lance, Aquino, que não é parente de Ubaldo e Rodney, resolveu consultar o VAR para analisar possível maldade do defensor do Cruzeiro. O paraguaio concluiu que Dedé foi imprudente e o expulsou.

O Cruzeiro já perdia por 1 a 0 e, menos de dez minutos depois do cartão vermelho, sofreu o segundo gol.

Os mineiros voltam a enfrentar o Boca Juniors na quinta-feira (dia 4 de outubro), quando a vaga na semifinal será decidida no Mineirão.

Futebol