PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Dedé diz que nem o Boca entendeu a expulsão: "me perguntaram o que houve"

Zagueiro alegou quem nem os jogadores do Boca entenderam sua expulsão no jogo - Demian Alday/Getty Images
Zagueiro alegou quem nem os jogadores do Boca entenderam sua expulsão no jogo Imagem: Demian Alday/Getty Images

Do UOL, em Belo Horizonte

20/09/2018 01h16

O zagueiro Dedé concedeu uma longa entrevista ainda no estádio La Bombonera, após a derrota do Cruzeiro por 2 a 0 para o Boca Juniors. O defensor mostrou muito abatimento, disse estar bastante chateado e comentou que nem os jogadores argentinos entenderam o motivo da sua expulsão.

Assista aos gols da partida entre Cruzeiro e Boca Juniors.

"Todo mundo achou que ele iria dar pênalti. Mas eu não senti nenhum empurrão, nem nada. A gente achou que ele daria o VAR a favor. Nos assustou. Se eu fosse na maldade, no momento que ele caiu, certamente os jogadores do Boca juntariam em mim. Mas eles me agradeceram pelo fato de eu ter pedido socorro ao goleiro. E assim que eu fui expulso, eles me perguntaram o que tinha acontecido. Eu falei que dei uma cabeçada e eles ficaram chocados pelo fato de eu ter sido expulso. Nem eles entenderam a expulsão", disse.

Em suas falas, Dedé misturou tristeza, indignação e cobrança das entidades para que erros como esses não se repitam.

"Me sinto muito injustiçado, foi um lance forte, mas lance de jogo. Quem me conhece e vê meu futebol sabe que eu não sou maldoso. Ainda não tinha feito nenhuma falta na partida. Fui para a área cabecear, tinha muita gente, eu nem sabia que eu tinha me chocado com o goleiro. Quando caí, vi que ele estava com o olho virado e pedi o socorro, nem me preocupei com contra-ataque", falou o zagueiro, que ainda pediu desculpas ao goleiro Andrada sem antes deixar de culpar o árbitro pela expulsão.

"Temos capacidade de reverter a situação, espero que eles analisem minha situação. Fico triste por ter saído, peço desculpas ao goleiro, desculpas de coração, eu não vi ele. Tentei falar com ele, mas ele ainda estava meio atordoado. Só tenho que dar minha solidariedade porque eu não sou maldoso. Agora, o árbitro tem que rever, tem a tecnologia, mas ficou comprometido em um lance desse", concluiu.

Futebol