PUBLICIDADE
Topo

Futebol

"Atitude do árbitro foi covarde comigo e com Cruzeiro", posta Dedé

Dedé foi expulso após se chocar com o goleiro do Boca Juniors - Demian Alday/Getty Images
Dedé foi expulso após se chocar com o goleiro do Boca Juniors Imagem: Demian Alday/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

20/09/2018 09h03

Na manhã desta quinta-feira (20), Dedé voltou a falar sobre a expulsão no confronto da última quarta (19) entre Cruzeiro e Boca Juniors. Em um texto publicado em seu perfil oficial nas redes sociais, o zagueiro destacou que não teve intenção de atingir o goleiro Esteban Andrada e criticou a postura da equipe de arbitragem da partida.

Assista aos gols da partida entre Cruzeiro e Boca Juniors.

"Jamais teria a intenção de atingir um companheiro de trabalho com uma cabeçada. A atitude dos árbitros foi covarde comigo e, principalmente, com o Cruzeiro e com o futebol. Mesmo já tendo falado ontem, quis me pronunciar novamente para pedir desculpas ao goleiro Andrada pelo choque involuntário. Espero que ele esteja bem”, escreveu Dedé.

O zagueiro repetiu o discurso realizado após o jogo de quarta-feira ao dizer que nem os jogadores adversários compreenderam a sua expulsão. Dedé ainda declarou que, mesmo com a derrota por 2 a 0 para o Boca Juniors, o Cruzeiro tem condições de reverter a situação.

“Reforço, também, que até mesmo alguns jogadores do Boca não entenderam a atitude do árbitro. Quero ficar longe de qualquer sentimento de raiva, mas, na esperança de que, ao menos, esta injustiça seja amenizada de alguma forma. Apesar de ser uma missão difícil, temos tudo para alcançar nosso objetivo, contra tudo e contra todos, em casa”, acrescentou o jogador do Cruzeiro.

Segundo comunicado divulgado pelo Boca Juniors nesta quinta, Andrada sofreu uma fratura no maxilar inferior por causa do choque com Dedé. O goleiro terá que ficar ao menos dois meses fora dos gramados.

Dedé foi expulso aos 29 minutos do segundo tempo do confronto de quarta (19) justamente pelo choque com o goleiro Andrada. O árbitro paraguaio Eber Aquino consultou o árbitro de vídeo (VAR) antes de dar o cartão vermelho ao brasileiro. 

Futebol