PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Renato valoriza estratégia do Grêmio: "E falam que não estudo futebol"

Do UOL, em Porto Alegre

19/09/2018 00h29Atualizada em 19/09/2018 10h14

O Grêmio venceu o Tucumán por 2 a 0, ficou mais perto da semifinal da Libertadores e para Renato Gaúcho a estratégia e postura fora de casa foram destaques. Aos olhos do treinador, a escalação com Alisson já mandou mensagem ao grupo para não administrar e no decorrer do duelo, no interior da Argentina, o time gaúcho seguiu atacando e buscando vantagem maior. Assista aos melhores momentos da partida. 

A vitória fora de casa garante vantagem grande ao Grêmio. No dia 2 de outubro, em Porto Alegre, o time gaúcho pode até perder por 1 a 0 ou 2 a 1 que avança de fase.

"Foi muito importante essa vantagem que a gente conseguiu aqui, fora de casa em Libertadores é muito difícil, o exemplo foi contra o Estudiantes. Nós tivemos dificuldades lá, tomamos dois gols. Falei para o grupo entrar com atenção maior… Teve pressão inicial, mas era algo normal. O Grêmio foi controlando o jogo, fizemos o primeiro gol em jogada forte que temos com o Cícero e entrada em diagonal do Alisson e Everton. O segundo gol deu tranquilidade maior", comentou Renato Portaluppi.

O Grêmio deixou o 4-2-3-1 pelo 4-1-4-1 e apostou em bolas longas para ganhar terreno. Alisson foi a grande surpresa na escalação e se tornou personagem do jogo.

"Talvez tenha sido surpresa para vocês a maneira que botei o time em campo, mas onde o Grêmio joga vai para ganhar. A gente soube se defender, tivemos uma marcação forte no meio e três jogadores rápidos lá na frente. Essa vantagem é muito boa, mas não está garantida. Tem mais 90 minutos em Porto Alegre", disse o treinador.

Com o Tucumán inflamado pela campanha histórica e jogando em casa, o Grêmio mapeou o confronto e esperou um duelo duro. Criou estratégias e mecanismos para minimizar riscos e ser mais vertical.

"E olha que tem gente que fala que eu não estudo futebol… Apesar de ser pago para isso. Estudamos bem a maneira de o Tucumán jogar. Sabíamos que o adversário ia dar trabalho, mas trabalhamos em cima da bola em diagonal em cima do Cícero para diagonal do Everton ou Alisson. E a bola invertida para pegar espaço. Deu certo… Os jogadores entraram sabendo como o adversário jogava e de que maneira precisavam se comportar em campo. A jogada do gol eu peço muito a eles, peço concentração para o lance. O Alisson estava ligado, focado e fez o gol. Fizemos o segundo e ainda poderíamos ter feito o terceiro… Mas está de bom tamanho", citou Renato.

Futebol