PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Com time definido, Grêmio transfere dúvida para o banco de reservas

Michael Arroyo não foi bem em jogos recentes e pode sobrar do banco contra o Barcelona-EQU - Lucas Uebel/Divulgação Grêmio
Michael Arroyo não foi bem em jogos recentes e pode sobrar do banco contra o Barcelona-EQU Imagem: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

23/10/2017 16h01

O Grêmio já sabe qual será sua escalação contra o Barcelona-EQU, no primeiro jogo da semifinal da Copa Libertadores, mas nem por isso deixa de tem dúvidas antes da partida em Guaiaquil. O Tricolor ainda estuda quais peças deixará no banco de reservas: com 25 atletas na delegação, sete deles sequer poderão ser opção.

O cenário é reflexo da regra da Conmebol que, ao contrário da CBF, não permite 11 atletas no banco. Em torneios sul-americanos apenas sete jogadores ficam como suplentes.

A escalação titular terá Michel e Luan, ambos liberados pelos médicos e devidamente testados diante do Palmeiras no domingo. Mas a dúvida que movimenta o contingente do Grêmio no Equador é que tipo de abordagem Renato Gaúcho planeja.

Se a ideia for ter cartas mais ofensivas, as vagas no banco podem mudar. Caso a proposta seja ter alternativas defensivas também haverá impacto na lista que assinará a súmula.

Quatro nomes são quase certos no banco: Paulo Victor, Rafael Thyere, Jailson e Everton. O goleiro está à frente de Bruno Grassi, o zagueiro tem melhores condições que Bressan, o volante será reserva imediato de Michel e o camisa 11 é um suplente usado sempre. Entre os três atletas que mais atuaram no elenco ao longo de toda temporada.

Restam, portanto, três vagas para 10 jogadores. Os mais fortes candidatos são Léo Moura, Marcelo Oliveira, Beto da Silva e Jael. Cristian e Cícero, reforços exclusivos para a Libertadores, também estão na briga. O ex-jogador de Fluminense e São Paulo leva vantagem por fazer mais de uma função e pela preparação especial visando a reta final do torneio.

Michael Arroyo, contratado no meio da temporada, perdeu espaço com as recentes atuações para lá de discretas. E do status de coringa do ataque, uma espécie de 12º jogador, deve sobrar do banco.

"Falo para todo jogador, não só para o Arroyo. As oportunidades são dadas, o jogador [e que tem de provar ao treinador que tem condições. Ninguém aqui pode reclamar de oportunidades. Em se tratando de Libertadores, só podem (ficar) sete no banco. Milagres eu não posso fazer, não posso mudar as regras. Então, todo procurou dar seu máximo. Muitos vão ficar de fora. Quem soube aproveitar, ótimo. Quem não soube, vai ficar fora do banco também", disse Renato Gaúcho após a derrota para o Palmeiras.

Barcelona e Grêmio se enfrentam na quarta-feira, às 21h45 (Brasília). O segundo jogo está marcado para 1º de novembro, em Porto Alegre. O vencedor do duelo pega o ganhador do cruzamento entre River Plate e Lanús na final da Copa Libertadores.

Futebol