PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Como o time do Grêmio define o seu próprio estilo de jogo

Jogadores do Grêmio comemoram vitória contra o Cruzeiro - Lucas Uebel/Divulgação
Jogadores do Grêmio comemoram vitória contra o Cruzeiro Imagem: Lucas Uebel/Divulgação

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

19/09/2017 04h00

Um time que gosta de ficar com a bola, é ofensivo e intenso. Tem como ordem máxima estar atento a cada detalhe, desde o arremesso lateral em uma zona sem perigo até a cobrança rápida de uma falta na intermediária. O Grêmio chega perto dos 60 jogos na temporada acumulando elogios e, agora, precisando lidar com as expectativas. Mas qual é a verdadeira definição da equipe treinada por Renato Gaúcho?

O UOL Esporte apresenta a explicação do Grêmio por ele mesmo.

Jogadores, dirigentes e integrantes da comissão técnica elencam os princípios de jogo e características que resultaram no time atual. Dono de 98 gols no ano e que na quarta-feira recebe o Botafogo em busca de uma vaga entre os quatro melhores da Libertadores.

Com a bola

Arthur, do Grêmio (Photo by Alexandre Loureiro/Getty Images) -  -

O Grêmio gosta de ter a posse da bola e, sempre que possível, aliar verticalidade. Ou seja, evitar passes laterais e acúmulo de volume improdutivo. A meta é sempre estar perto do gol adversário e com opções de passe para criar superioridade.

“Nossa característica é ficar com a bola. Como nós vamos nos portar é igual aos outros jogos, procurando ficar com a bola. Vamos marcar muito forte, mas com a bola vamos tentar criar sempre”, disse Ramiro antes de um jogo da Libertadores neste ano.

Em recente entrevista ao UOL Esporte, Renato citou justamente essa ideia como diferencial do time em relação ao histórico do clube. Outros times do Grêmio que marcaram época jogavam à espera ou na base do jogo físico.

“Hoje em dia o meu time se desgasta menos na parte física por valorizar a bola, algo que o Grêmio não tinha feito antes”, comentou o treinador.

Intenso

Rodrigo Pimpão e Edilson disputam bola em Botafogo x Grêmio pela Libertadores - Antonio Lacerda/EFE - Antonio Lacerda/EFE
Imagem: Antonio Lacerda/EFE

Ir até o limite sempre. Extrair o máximo de cada peça e ter um modelo intenso em todas as fases do jogo. O time de Renato Gaúcho é orientado a pressionar o portador da bola para retomar a posse e, quando não houver saída, sair em debandada para recompor a defesa.

“Temos que atacar marcando. O Geromel usa muito isso no vestiário. Pressionar lá em cima, do início ao fim, para ter chance de recuperar lá na frente e construir perto do gol”, citou Edilson.

Concentração

Matheus Fernandes do Botafogo disputa lance com Fernandinho do Gremio no estadio Nilton Santos - Luciano Belford/AGIF - Luciano Belford/AGIF
Imagem: Luciano Belford/AGIF

Atenção total e irrestrita ao jogo. Em cada detalhe, em cada segundo. A cobrança rápida de uma falta na intermediária importa. O lateral perto da bandeira de escanteio no campo de defesa do adversário também. A regra lembrada minutos antes da bola rolar é sempre a mesma: nunca dar as costas para a bola. E ficar sempre concentrado.

“O modelo do Renato cobra foco os 90 minutos, intensidade para marcar e atacar”, conta Arthur.

Girando peças

Ramiro da direita para o centro. Luan da intermediária para o círculo central e os laterais avançando. Michel se revezando com Arthur para dar opção de passe e Barrios saindo da área para fazer o pivô. O Grêmio gira a bola e gira as suas peças. A movimentação é fruto de uma ordem simples: tocar (dar o passe) e se colocar à disposição para receber a bola de novo.

“Procuramos não guardar posição. E também não deixar o Luan sozinho”, citou Maicon, atualmente lesionado, ao descrever uma atuação do Grêmio no início do Brasileirão. “Barrios é mais de referencia, os laterais quando chegam tem ele lá. O Luan vem buscar no pé. Estamos sempre rodando bem”, disse Léo Moura.

Contratado há exatamente um ano, Renato Gaúcho acumula 71 partidas em sua terceira passagem pelo Grêmio. A mais longa, em comparação com 2010/2011 e 2013 e também a com mais estofo técnico e tático. O Grêmio da atual temporada, contudo, ainda não venceu um título. Diante do Botafogo, pelas quartas de final da Libertadores, existe a chance de seguir atrás de uma conquista para referendar o time montado e o estilo de jogo adotado.

Futebol