PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Esquema com três zagueiros expõe Palmeiras e só dura 45 minutos

Peñarol abre o placar contra o Palmeiras no Uruguai - AFP / MIGUEL ROJO
Peñarol abre o placar contra o Palmeiras no Uruguai Imagem: AFP / MIGUEL ROJO

Do UOL, em São Paulo

26/04/2017 22h46

O esquema de três zagueiros de origem não deu certo no primeiro tempo entre Palmeiras e Peñarol. Os uruguaios abriram 2 a 0 logo no primeiro tempo e complicaram a vida da equipe de Eduardo Baptista. Depois no segundo tempo, o técnico corrigiu o erro e dominou a partida até virar o jogo por 3 a 2.

A ideia inicial do comandante era colocar Edu Dracena, Mina e Vitor Hugo dentro de sua área para evitar problemas com jogadas aéreas. Foi assim que os palmeirenses sofreram os dois gols na partida contra o mesmo time em São Paulo.

O problema é que a tática não deu certo. O primeiro gol foi aos 13 minutos: em cruzamento da direita, Affonso fez falta em Mina e saiu cara a cara com Prass. Ele só tocou para completar e abrir o placar.

O outro foi marcado aos 38 minutos, com Júnior Árias. Em novo cruzamento vindo das costas de Egídio, a zaga do Palmeiras bateu cabeça e viu o uruguaio ampliar o placar.

Para a volta do segundo tempo, o técnico tirou Egídio e deslocou Michel Bastos para a lateral esquerda, com a entrada de Tchê Tchê no meio. Além disso, Willian entrou no lugar do Vitor Hugo.

O resultado foi imediato. Se no primeiro tempo, a equipe não finalizou uma vez sequer, na etapa complementar, chutou cinco em 20 minutos.

Willian fez belíssimo gol depois de cruzamento na área, dominando a bola e ensaiando até uma embaixadinha antes de finalizar. O empate veio com Jean colocando a bola na cabeça de Mina.

A equipe alviverde só não virou o jogo em 20 minutos porque Roger Guedes errou gol incrível. Sem goleiro, ele chutou por cima do travessão fazendo o que parecia mais difícil.

Futebol