PUBLICIDADE
Topo

Libertadores - 2019

Brasil busca quadra inédita e curte supremacia financeira nunca vista na Libertadores

Times brasileiros gastaram pesado pelo sonho de título da Copa Libertadores de 2013 - UOL Esporte/Preview.com/Fluminense/Atlético-MG
Times brasileiros gastaram pesado pelo sonho de título da Copa Libertadores de 2013 Imagem: UOL Esporte/Preview.com/Fluminense/Atlético-MG

Do UOL, em São Paulo

13/02/2013 06h00

No futebol de hoje, em que o dinheiro nunca foi tão decisivo para isolar favoritos e segregar forças coadjuvantes, o Brasil larga na edição 2013 da Libertadores diante de uma inédita oportunidade de supremacia na história da competição. Com os cinco elencos mais caros do torneio, o país pode alcançar pela primeira vez desde 1960 a marca de quatro títulos consecutivos.

Vencedor de 2012, o Corinthians puxa a lista de favoritos brasileiros, que também conta com o campeão brasileiro Fluminense, além de São Paulo, Grêmio e Atlético-MG. Todos estes turbinaram seus elencos já fortes com reforços caros na aposta pelo título mais cobiçado do continente. A exceção inicial é o Palmeiras, em instante de delicada reestruturação.

A sequência atual de conquistas brasileiras na Libertadores (Inter-2010, Santos-2011 e Corinthians-2012) empata com a série dos anos 90 (Cruzeiro-1997, Vasco-1998 e Palmeiras-1999), em outro momento de alta do futebol brasileiro. Desta forma, um novo êxito em 2013 oferecerá ao país uma quadra inédita que o país não foi capaz de registrar nem nos tempos de Pelé, de Zico ou de Telê Santana.

De acordo com um estudo da Pluri Consultoria, o Brasil tem os cinco elencos mais caros da Libertadores 2013 [Grêmio em 5º, então ainda sem Barcos e André Santos]. Dos oito primeiros da lista, seis pertencem ao país, com apenas os argentinos Boca Juniors e Velez Sarsfield como intrusos.

Outro levantamento recente da Pluri Consultoria lista os 30 jogadores mais valiosos da Libertadores deste ano, e o Brasil apresenta nada menos do que 19 nomes na relação [Casemiro, em 29º lugar, ainda não havia sido negociado do São Paulo ao Real Madrid].

LIBERTADORES EM CIFRAS

OS DEZ TIMES MAIS CAROS*OS DEZ JOGADORES MAIS VALIOSOS*
1. Corinthians - R$ 261,4 milhões
2. São Paulo - R$ 245,1 milhões
3. Fluminense - R$ 218,1 milhões
4. Atlético-MG - R$ 193,1 milhões
5. Grêmio - R$ 191,5 milhões
6. Boca Juniors - R$ 144,4 milhões
7. Vélez Sarsfield - R$ 124,6 milhões
8. Palmeiras - R$ 123,5 milhões
9. Arsenal de Sarandí - R$ 104,2 milhões
10. Universidad de Chile - R$ 101,5 milhões
1. Alexandre Pato - R$ 57,7 milhões
2. Paulinho - R$ 42,4 milhões
3. Bernard - R$ 39,4 milhões
4. Vargas - R$ 35,9 milhões
5. Ganso - R$ 34,5 milhões
6. Renato Augusto - R$ 29,1 milhões
7. Wellington Nem - R$ 23,9 milhões
8. Fred - R$ 19,6 milhões
9. Fernando - R$ 19,3 milhões
10. Jean - R$ 18,5 milhões
*valor de mercado, segundo a Pluri Consultoria*valor de mercado, segundo a Pluri Consultoria

BRASILEIROS CHEGAM COM PATO, GANSO E GRÊMIO MILIONÁRIO

Doze jogadores de times brasileiros encabeçam a lista dos atletas mais caros da Libertadores 2013, em uma das demonstrações de poder dos times do país na briga pelo título do ano.

O primeiro da lista é Alexandre Pato, que custou R$ 40 milhões aos cofres do atual campeão da Libertadores. O Corinthians também trouxe Renato Augusto da Alemanha [o 6º da relação], que ajuda a fortalecer um elenco que já terminara a última temporada valorizado.

O campeão brasileiro Fluminense não gastou com nenhum reforço de impacto para 2013, mas manteve a força do elenco de 2012, vasto e de qualidade, com nomes como Fred, Deco, Cavalieri e Rafael Sobis. O time de Abel Braga contratou peças pontuais para completar o grupo, como o veterano Felipe. 

Mas talvez a maior demonstração de ambição financeira entre os brasileiros tenha sido oferecida pelo Grêmio. O time de Vanderlei Luxemburgo, que passou pela etapa eliminatória diante da LDU, marca a estreia da nova arena com uma lista de reforços de peso: Barcos, Vargas, Cris, Dida, André Santos, entre outros. Esses nomes rodados inflacionam a folha salarial gaúcha e se juntam a outras figuras experimentadas como Zé Roberto, Kléber e Elano.

No elenco badalado do São Paulo, o principal reforço veio ainda no fim de 2012, com os R$ 23,8 milhões desembolsados por Paulo Henrique Ganso. O tricampeão da Libertadores espera que a promessa do futebol nacional finalmente vingue ao longo do torneio, ao lado de Rogério Ceni, Luís Fabiano e companhia.

De volta à Libertadores depois de 13 anos, o Atlético-MG conseguiu manter Ronaldinho e ainda repatriou o atacante Diego Tardelli, por cerca de R$ 14 milhões.

Na contramão dos investimentos brasileiros, apenas o Palmeiras. O campeão da Copa do Brasil ainda luta para erguer um elenco para a disputa de ano, em que conciliará com o início na batalha na Série B.

CRISE FINANCEIRA ENFRAQUECE FAMA ARGENTINA NO TORNEIO

O melhor momento do Brasil na história da Libertadores vai sendo pavimentado simultaneamente ao instante de bonança da economia do país, mas em claro contraste com as dificuldades atuais dos vizinhos da América do Sul.

Maior vencedor da Libertadores, com 22 conquistas [o Brasil tem 16], a Argentina atravessa instabilidade econômica, com inflação, insatisfação popular e risco de nova recessão. Nos últimos dias a presidente Cristina Kirchner tem lidado com crise dos supermercados e ameaça de desabastecimento.

Neste cenário, o futebol argentino parece não representar mais o monstro do passado em confrontos com o Brasil. Nem mesmo o sempre temido Boca Juniors, seis vezes campeão da Libertadores, larga na edição 2013 como um possível favorito.

Além de Boca e Vélez, a Argentina disputa a Libertadores deste ano com Arsenal de Sarandí, Newell's Old Boys e Tigre.