PUBLICIDADE
Topo

Copa Sul-Americana - 2019

Por que Racing é o rival perfeito para Corinthians de Carille se recuperar

Divulgação/Racing Club
Imagem: Divulgação/Racing Club

Do UOL, em São Paulo (SP)

14/02/2019 11h45

O primeiro compromisso internacional do Corinthians na temporada chega em um momento de dúvidas para a equipe de Fábio Carille. Em momento irregular no Campeonato Paulista, o clube alvinegro encara um duro desafio pela Copa Sul-Americana, mas que pode terminar como um ponto de virada para a temporada. Hoje, às 21h30 (de Brasília), os corintianos recebem os argentinos na Arena um rival propício para gerar o embalo ideal para este primeiro semestre.

O Racing carrega o peso de ser um dos clubes mais históricos da Argentina, mas chega a São Paulo em um momento tumultuado. Vencer um rival deste porte, ainda mais com o peso de liderar o Campeonato Argentino, pode significar a retomada da 'lua de mel' entre Carille, Corinthians e torcida.

Camisa pesada

Antes de se analisar momento e circunstâncias, o Corinthians sabe que tem um rival de peso logo na primeira fase da Sul-Americana. O Racing é um dos clubes mais tradicionais da Argentina e carrega a tradição de já ter alcançado o topo na Copa Libertadores da América. Jogar no Cilindro, temido estádio em Avellaneda, é sempre um duro desafio.

Hora da vingança?

Ciente do tamanho do adversário, o Corinthians ainda carrega uma lembrança ruim do Racing. Em uma das atuações mais criticadas da primeira passagem de Fábio Carille, a equipe brasileira caiu para o rival na própria Copa Sul-Americana, em noite marcada pelas expulsões de Rodriguinho e Jô. Chance de revanche sobre aquele trauma do ano de 2017. Ah, e ainda tem o ex-palmeirense Cristaldo do outro lado.

Crise com astro

O Racing chega ao Brasil diante de uma crise institucional. Criado no alviceleste de Avellaneda, Ricardo Centurión esgotou a paciência do clube. Depois de criar confusão com o técnico Eduardo Coudet no último fim de semana, ao empurrar o comandante antes de entrar em campo contra o River Plate, o ex-são-paulino acabou afastado. Com o atual chefe, ele não joga mais.

Líder, mas nem tanto

A liderança do Campeonato Argentino está seriamente ameaçada. Derrotado no último fim de semana, o time de Coudet agora tem a companhia do Defensa y Justicia, time ainda invicto na competição. Ambos os clubes somam 42 pontos e possuem mais sete compromissos até o fim da liga.

"Vamos buscar nos levantar", diz Diego Milito

Perdeu jogo "grande"

A derrota para o River Plate, em um jogo "grande", ligou obviamente o sinal de alerta. No Monumental de Nuñez, o Racing acabou dominado durante a maior parte do duelo. Logo em um momento de decisão no Argentino, o time de Coudet cai de rendimento - nenhum chute ao gol dos Millonarios durante o duelo. Boa chance para o Corinthians, diante da queda de confiança de um time que chegou a ter vantagem confortável na liderança.

Prioridade, o Argentino

A escalação não foi em si divulgada, mas o Racing deve poupar jogadores na Arena Corinthians. A provável formação deve contar com sete titulares: Arias, Saravia, Sigali, Donatti, Mena, Díaz e Zaracho.

Viagem tumultuada

A equipe ainda enfrentou uma viagem, no mínimo, incômoda para São Paulo. A delegação esteve no mesmo voo dos torcedores do Talleres, que não se seguraram. O bullyng atingiu, principalmente, Renzo Saravia, jogador com passado no Belgrano (rival do Talleres) e um dos primeiros identificados pelos hinchas. Não faltaram "elogios".