PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Taça, grana, elenco e política: Fluminense faz "final" que pode definir ano

Jogadores do Flu comemoram gol sobre o Paraná; time joga a vida no Uruguai - Thiago Ribeiro/AGIF
Jogadores do Flu comemoram gol sobre o Paraná; time joga a vida no Uruguai Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

31/10/2018 04h00

Quando entrar em campo na noite desta quarta-feira (31), às 19h30, para encarar o Nacional, o Fluminense estará definindo mais do que apenas a sua classificação à semifinal da Copa Sul-Americana. Com mínimo risco de queda no Campeonato Brasileiro e diante da pequena possibilidade de uma vaga na Libertadores por meio da competição nacional, o Tricolor joga pela manutenção do sonho de um título e para manter a temporada acesa.

Para deixar o Parque Central com a vaga, o Fluminense precisa vencer ou empatar por dois ou mais gols, já que não saiu de um empate por 1 a 1 no Nilton Santos. Tudo isso em um ambiente que promete ser dos mais complicados.

"A maior dificuldade que vamos enfrentar é manter a concentração durante os 90 minutos. A gente sabe que será um clima bastante hostil. Eles fazem com que o clima fique assim, com a torcida e todos os envolvidos na partida", analisou Jadson.

Voltar de Montevidéu com o passaporte carimbado também terá impacto direto na vida do elenco, já que uma queda pode antecipar o processo de reformulação e iniciar um movimento de "Feliz 2019" no clube.

Fora a parte técnica, os tricolores jogam por uma premiação de 550 mil dólares (R$ 2 milhões) paga ao semifinalista. Em tempos de vacas magras, o dinheiro será fundamental para acertar salários.

"Temos que nos manter concentrados, fazer nosso trabalho da melhor maneira possível. Tenho certeza de que temos a capacidade de sair daqui com um resultado positivo", acrescentou o volante.

O futuro do técnico Marcelo Oliveira também passa pelo desfecho tricolor na temporada, ainda que a cúpula de futebol já tenha se manifestado abertamente que deseja a continuidade de trabalho. Condições de renovação e o tom da conversa estão condicionados ao que acontecer em campo até dezembro.

Por fim, os 90 minutos na capital uruguaia também podem ditar os rumos da política tricolor. Com a caminhada na Sul-Americana, os bastidores das Laranjeiras vivem dias de rara trégua no ano. Mas é fato que a temperatura da pressão sobre a gestão do presidente Pedro Abad também pode variar de acordo com o que o apito final do juiz determinar.

Boas novas

Para a decisão desta quarta-feira, a tendência é que Marcelo Oliveira conte com os retornos do zagueiro Gum e do lateral-direito Léo, recuperados de suas respectivas lesões. O Flu teve à disposição uma carga de três mil ingressos, e a expectativa é que um bom número de torcedores compareça ao Parque Central.

FICHA TÉCNICA
NACIONAL x FLUMINENSE

Local: Parque Central, em Montevidéu (URU)
Data: 31/10/2018
Horário: 19h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Roberto Tobar (CHI)
Assistentes: Christian Schiemann (CHI)  e Claudio Rios (CHI)

NACIONAL
Conde; Fucile, García, Rolín e Espino; Zunino, Romero, Oliva, Castro e De Pena; Bergessio. Técnico: Alexander Medina

FLUMINENSE
Júlio César; Ibañez, Gum (Paulo Ricardo) e Digão; Léo (Matheus Alessandro), Richard, Jadson, Sornoza e Ayrton Lucas; Everaldo e Luciano. Técnico: Marcelo Oliveira

Futebol