Topo

Futebol


Grêmio identifica torcedores e proíbe Patricia e mais 9 de ir a jogos

Marinho Saldanha*

Do UOL, em Porto Alegre

29/08/2014 16h03

O Grêmio identificou e puniu 5 torcedores pelos atos racistas contra o goleiro Aranha na partida diante do Santos, na última quinta-feira. Dois eram sócios e já foram suspensos do quadro social do clube. Entre eles, Patrícia Moreira, flagrada pelas câmeras da ESPN aos gritos chamando Aranha de 'macaco'. Os outros não tinham ligação com a agremiação, mas estão proibidos de ir a jogos na Arena.

Segundo o advogado Gabriel Vieira, foram 5 torcedores identificados por atos racistas, e outros 5 não envolvidos diretamente em atos de racismo, mas também identificados e punidos. Entre as ações dos que não cometeram atos racistas estão tentativa de invasão de campo e arremesso de objetos no gramado da Arena.

Patrícia Moreira, flagrada pelas câmeras de televisão xingando o goleiro santista, era sócia e está suspensa do quadro social gremista. O trâmite interno do clube começa com a suspensão e posteriormente o sócio é excluído do quadro permanentemente.

"A pena é sumária. No que tange o Grêmio, nosso trabalho será incansável. Começamos e temos alguns passos dados. Mas não vamos descansar até identificar qualquer torcedor que tenha cometido tais atos", disse o presidente Fábio Koff.

A menina, além disso, foi afastada do emprego pela manhã devido a conduta inadequada. Ela trabalhava para uma empresa que prestava serviços à Brigada Militar.

A pena de veto em estádio é comum a todos. O Grêmio faz questão de esclarecer que tem imagens, dados, nomes e já informou aos punidos que não poderão mais comparecer no estádio. Além disso, passou a relação dos punidos para a polícia.

Identificando e responsabilizando os torcedores, o clube espera atenuar uma eventual punição por conta dos atos de racismo ocorridos na noite de quinta. O advogado gremista, Gabriel Vieira, não acredita em exclusão da competição, mas teme por perda de mando de campo ou multa.

"A exclusão é muito forte, está em desuso, não se tem agido mais assim. Porém, o que pode acontecer é perda de mando de campo ou multa", afirmou.

A denúncia deve ocorrer nos próximos dias e o julgamento é esperado para dentro de até 15 dias.

Na ocasião, o goleiro Aranha ouviu xingamentos de todo tipo. Entre eles, termos como 'macaco' e 'preto fedido'. Nesta sexta, o goleiro concedeu entrevista coletiva após realizar registro da ocorrência. Segundo ele, se o ato partiu de uma minoria, os demais deveriam ter coibido a ação. Mas se nada fizeram é porque concordaram ou não se importaram com os atos.

O Grêmio, em nota oficial, repudiou os atos. Enquanto isso, o Ministério Público pediu a abertura de inquérito para apurar os fatos.

*Atualizado às 16h52

Mais Futebol