PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Palmeiras sofre, mas vence com dois de Bruno César e vai à 2ª fase

Do UOL, em São Paulo

02/04/2014 23h53

Foi mais um alívio do que uma comemoração. O Palmeiras está na próxima fase da Copa do Brasil depois de sofrer, ver Bruno fazer boa defesa e ser acordado pelo barulho da trave, quando o jogo ainda estava 0 a 0 quase aos 30 minutos do 2º tempo. Foi aí que Bruno César apareceu duas vezes e garantiu o placar de 2 a 0 em cima do Vilhena-RO. O placar fica longe de convencer, especialmente quando se coloca na mesa a diferença financeira, de estrutura e de história de ambas as equipes.

Agora, a equipe de Gilson Kleina espera o vencedor do confronto entre Interporto-TO e Sampaio Corrêa. O primeiro jogo terminou no 2 a 2 e o segundo, no Maranhão, acontece na próxima quarta-feira, às 20h30.  Antes de voltar a campo por essa competição, se não houver mudança na tabela, o Palmeiras volta a jogar na estreia do Brasileirão, diante do Criciúma, fora de casa, no dia 20 de abril.

Nos primeiros 45 minutos, o torcedor que foi ao estádio certamente se perguntava o motivo de estar ali. Uma fina garoa e uma noite que já não era das mais agradáveis só ficava pior com o correr do relógio, com várias lembranças da trágica eliminação de domingo, diante do Ituano, na semifinal do Paulistão. O Vilhena ainda chegou a assustar em duas ocasiões. Em ambas, a bola parou nos zagueiros em um bate-rebate na área.

O Palmeiras, por sua vez, chegou logo no começo, com Bruno César, mas assustou de fato apenas aos 35 minutos, no único lance em que os donos da casa se mostraram realmente superiores. Mendieta recebeu passe na entrada da área e, de calcanhar, achou Marcelo Oliveira, que limpou o zagueiro e viu Dalton fazer uma boa defesa em dois tempos.

O empate por 0 a 0 com um time que tem uma folha salarial menor do que os vencimentos de um só jogador da equipe não pareceu incomodar Leandro, que deixou o campo satisfeito com o resultado. “A torcida não vai gostar do 0 a 0, mas o que importa para a gente é se classificar, seja com o empate ou com vitória”.

Na etapa final, a alternativa de Gilson Kleina para dar um pouco de alegria para os torcedores mais fanáticos foi colocar Serginho na lateral direita e deslocar Thiago Alves para a zaga. O estilo de jogo seguiu o mesmo, com os palmeirenses pressionando, mas sempre errando na hora da finalização ou então no último passe.

Aos 13 minutos, a melhor chance do jogo foi do Vilhena. Jal ganhou no ombro a ombro de Lúcio e virou sozinho na esquerda de campo. Ele bateu rasteiro, e Bruno fez a defesa com o pé. Doze minutos depois, o grito de “uh” foi de novo do Vilhena. Tayron acertou a trave direita de Bruno.

O barulho da trave parece ter acordado o Palmeiras. Marquinhos Gabriel recebeu bola pela direita e fez ótima jogada. Ele cruzou e achou Bruno César livre na pequena área, que só completou para marcar seu primeiro gol com a camisa palmeirense. Menos de cinco minutos depois, o meia saiu cara a cara de novo com o goleiro e foi atropelado pelo goleiro Dalton. Pênalti convertido por ele mesmo.
 

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 2 X 0 VILHENA


Local: estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 2 de abril de 2014, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Público total: 4.897 
Renda: R$ 124.950,00
Árbitro: Wanderson Alves de Sousa (MG)
Assistentes: Luciano Roggenbaum e Diego Grubba Schitkovski (ambos do PR)
Cartões amarelos: Carlinhos, Edilsinho, Júnior, Tayron e Dalton (VIL) Bruno César, Leandro e Eguren (PAL)
Gols: Bruno César, aos 27 e aos 31 minutos do 2º tempo. 

PALMEIRAS: Bruno; Tiago Alves, Lúcio, Wellington (Serginho) e William Matheus; Eguren, Marcelo Oliveira (Josimar), Mendieta (Marquinhos Gabriel) e Bruno César; Leandro e Miguel
Técnico: Gilson Kleina

VILHENA: Dalton; Portela, Júnior, Alex Barcellos e Maycon (Tiago Silva); Marinho (Tayron), Carlinhos, Cucaú, e Edilsinho; Jal (Roallase) e Sandro
Técnico: Marcos Birigui

$escape.getH()uolbr_geraModulos('embed-lista','/2014/blogueiros-comentam-a-rodada-1396496629939.vm')

Futebol