PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Palmeiras terá a missão de equilibrar desgaste e motivação para Copa do Brasil

Leandro comemora após marcar nos acréscimos para o Palmeiras sobre o Paysandu - Reinaldo Canato/UOL
Leandro comemora após marcar nos acréscimos para o Palmeiras sobre o Paysandu Imagem: Reinaldo Canato/UOL

Mauricio Duarte

Do UOL, em São Paulo

18/08/2013 06h00

Depois de uma vitória tão emocionante quanto desgastante de virada em cima do Paysandu, o Palmeiras terá que lidar com os prejuízos do esforço físico para armar o time que estreia na Copa do Brasil, nesta quarta-feira, diante do Atlético-PR. A questão já preocupa o treinador Gilson Kleina.

Alguns jogadores fundamentais para o time já aparecem como incógnita para serem escalados. O principal deles é o meia Valdivia, que retornou lesionado da seleção chilena e espera os resultados de uma reavaliação que fez assim que chegou ao Brasil, nesta sexta-feira, para que o departamento médico do clube entenda a gravidade da contusão.

Outros atletas que se desgastaram muito no jogo deste sábado também terão que ser reavaliados. O zagueiro Vilson deixou o gramado com dores musculares. O atacante Leandro, que quase ficou de fora do jogo por conta de dores lombares e fadiga muscular, fez o gol da vitória, mas aumentou seu cansaço. Os dois jogadores serão alvo de um trabalho especial da comissão alviverde para estarem prontos para o jogo. “Tem que dar mérito aos preparadores físicos e ao corpo médico”, afirmou Gilson Kleina, treinador palmeirense.

Kleina teme justamente que a equipe não consiga manter a intensidade, especialmente a demonstrada nos minutos finais da partida contra o Paysandu. Segundo ele, o time pode sentir dificuldades quando encontrar um adversário mais forte. Para ele, os erros não podem se repetir. Para isso, o time precisa estar inteiro

“Faltou mostrar durante o jogo a intensidade que tivemos no final. Faltou agressividade, quase não usamos as laterais no primeiro tempo. É preciso entender que quem vem enfrentar o Palmeiras jogará sempre assim, fechado na marcação e saindo para o contra-ataque. Não é todo jogo que vamos conseguir virar. Se repetirmos o que fizemos hoje contra o Atlético-PR, teremos muitas dificuldades”, disse.

Com o resultado contra o Paysandu, o Palmeiras chega aos 40 pontos na Série B do Brasileiro e abre sete da vice-líder Chapecoense, que empatou com o Paraná por 2 a 2. Agora, o Palmeiras dá uma pausa na Série B e se prepara para a estreia na Copa do Brasil, diante do Atlético-PR, na quarta-feira

Esporte